Natal sem Jesus


Lc 3:1-9 No décimo quinto ano do reinado de Tibério César, sendo Pôncio Pilatos governador da Judéia, Herodes, tetrarca da Galiléia, seu irmão Filipe, tetrarca da região da Ituréia e Traconites, e Lisânias, tetrarca de Abilene,2 sendo sumos sacerdotes Anás e Caifás, veio a palavra de Deus a João, filho de Zacarias, no deserto.3 Ele percorreu toda a circunvizinhança do Jordão, pregando batismo de arrependimento para remissão de pecados,4 conforme está escrito no livro das palavras do profeta Isaías: Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas.5 Todo vale será aterrado, e nivelados todos os montes e outeiros; os caminhos tortuosos serão retificados, e os escabrosos, aplanados;6 e toda carne verá a salvação de Deus.7 Dizia ele, pois, às multidões que saíam para serem batizadas: Raça de víboras, quem vos induziu a fugir da ira vindoura?8 Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento e não comeceis a dizer entre vós mesmos: Temos por pai a Abraão; porque eu vos afirmo que destas pedras Deus pode suscitar filhos a Abraão.9 E também já está posto o machado à raiz das árvores; toda árvore, pois, que não produz bom fruto é cortada e lançada ao fogo.

A notícia de crise não abalou os brasileiros. Apesar de tanto alvoroço devido à derrocada do sistema financeiro internacional, as ruas de comércio popular estão lotadas para as compras de Natal, afirmam os jornais. Mas, diante de tudo isso vale a pena uma pergunta: o que é Natal mesmo?
Há mais de dois mil anos atrás Deus fez uma visita aos homens. Ele veio na figura humana, chamado Jesus de Nazaré, nascido no ano zero da nossa história. Deus não chegou assim de qualquer jeito, de sopetão, ELE mandou preparar a visita. O preparador foi um cidadão estranho, chamado João o Batista.
Dentro de mais uns poucos dias estaremos comemorando essa visita, mas antes, precisamos passar por uma preparação. Nós temos que passar por João para chegar a Jesus. Sem João Batista não tem Jesus para nós. Sem João Batista Deus não nos visita; sem João nosso Natal é uma farsa.
Exposição:
No décimo quinto ano do reinado de Tibério César, sendo Pôncio Pilatos governador da Judéia, Herodes, tetrarca da Galiléia, seu irmão Filipe, tetrarca da região da Ituréia e Traconites, e Lisânias, tetrarca de Abilene.
Corre o ano de 2008, Barack Obama é o presidente dos EUA, Gordon Brown é o primeiro ministro da Inglaterra, Lula é o presidente do Brasil, Eduardo Campos, neto de Miguel Arraes, é governador do estado de Pernambuco e João da Costa prefeito do Recife. Foi aí nesse contexto que Deus ordenou essa mensagem. Foi aí neste mundo, neste país, nesta cidade e neste fim de ano. Foi neste mundo convulsionado, se retorcendo em dores e misérias, matanças de soldados, matanças de civis, ameaças de bombas nucleares, fome, peste, terremotos. Foi aí com transplantes de órgãos, raios laser a curar doenças, coquetéis poderosos anti AIDS, Foi aí com a educação abaixo de zero, e a criminalidade acima de dez, foi aí onde filhos matam os pais, pais matam e estupram filhos, casais se separam cada vez mais, angústia, depressão, foi aí no País campeão mundial de acessos à pornografia na Internet segundo a Symantec, insegurança, medo, subversão, falências, torturas e atentados. Foi aí que João Batista nos prepara a visita hoje.
O que João fez para nos preparar a visita? Primeiro ele diz o seguinte: vocês, que vivem neste mundo de guerra, neste mundo de ciência avançada, neste país emergente, nesta sociedade transtornada de angústia e medo; prestem atenção! Isso aí não é tudo! Isso não é toda a realidade! O inferno não é aqui! Existe mais, Existe muito mais!
Existe um Deus que pode te dar um futuro grandioso e perdoará tua culpa (...pregando batismo de arrependimento para remissão de pecados); mas também irá derramar toda a sua ira diante daqueles que não se arrependerem de verdade (...E também já está posto o machado à raiz das árvores; toda árvore, pois, que não produz bom fruto é cortada e lançada ao fogo).
Esta é a realidade que vocês estão esquecendo, diz João, a realidade está mais no fundo, mais acima, mais além é maior e tremendamente mais importante do que qualquer outra realidade em sua vida. Um Deus que pode restituir-vos a paz e harmonia do paraíso perdido, como também decretar a derrocada, e o castigo eterno. O Deus que vai exigir prestação de contas. O Deus que vem visitar! Essa é a primeira coisa que João nos diz hoje.
E agora? Que fazer diante dessa realidade? Que fazer diante desse Deus que pode dar e negar? João mais uma vez responde: "O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo; arrependei-vos e crede no evangelho" Mc 1:15. Lembrem-se meu amados amigos e irmãos, sem João batista o Natal é uma farsa. E por que? O que houve de tão importante nesse homem? Poderiam me perguntar, e eu vos afirmo o importante em João foi o que ele falou: arrependam-se! Imaginem o seguinte: você está em seu carro e quer ir ao aeroporto, vai tranqüilo a uma certa velocidade, mas, por uma distração, pega uma rodovia diferente da que leva ao seu destino e nem percebe, na sua frente há sinal de trânsito que bruscamente muda de verde para vermelho, acionamos o pedal do carro que, de forma violenta, freia quase que em cima da faixa de pedestres. Neste momento, você para um pouco e pensa: afinal para onde estou indo? Este caminho não me conduzirá ao aeroporto! Você vê um retorno mais a frente, muda a direção e volta agora ao caminho exato que te levará ao destino desejado.
Leitores plugados com Deus, assim é o arrependimento! Arrepender-se é ter um estalo por dentro, parar, pensar: mas para onde é que eu vou indo desse jeito? Como é que eu vim parar aqui? E fazer o retorno. Nada vale um arrependimento somente mental sem mudança de direção na vida. Nada adianta dizer mentalmente -- é preciso me acertar com o criador-- e continuar no caminho que não conduz ao céu.
Sem arrependimento não tem Jesus, se não sentirmos ou vivermos esse arrependimento, o nosso Natal será uma farsa, um show, uma brincadeira vergonhosa. Vergonhosa porque usaremos Deus para esta brincadeira, o mesmo Deus que disse não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão.
Aqui está uma advertência violenta de João, "Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento e não comeceis a dizer entre vós mesmos: Temos por pai a Abraão; porque eu vos afirmo que destas pedras Deus pode suscitar filhos a Abraão." Vocês percebem como costumamos celebrar a visita do Deus todo- poderoso aos homens? Como gostamos de falar no menino Jesus, tão meigo, deitadinho na sua manjedoura, ao lado de Maria e seu pai José o burrinho, a vaquinha, e outros animais olhando e anjinhos voando por cima cantando: "glória, glória..." isso nos dá um aconchego não é mesmo? Nos sentimos tão bem! Com um deusinho tão meigo, tão querido, nada pode dar nada errado. E esquecemos que aquele menino ter que ser executado na cruz, por nossa culpa. Sim, esquecemos a nossa culpa!
Toda essa montagem melosa que colocamos em torno de Deus nos faz esquecer que " já está posto o machado à raiz das árvores".
Toda esta montagem nos dá uma garantia tragicamente falsa. Deus não precisa de nós. Nós não estamos lhe fazendo um favor celebrando o natal ou deixando presentes aos pés da árvore tão belamente enfeitada.
O alerta de João é violento, e tem que ser sentido em toda sua violência para que não façamos do nosso Natal uma afronta a Deus, uma palhaçada. Uma palhaçada que se transformará em juízo, pois para realizá-la usamos e abusamos do nome de Deus.
Meus amados leitores, vamos endireitar os caminhos, aterrar os vales, nivelar os montes e colinas, cortar as curvas, aplainar as partes acidentadas. Vamos praticar o arrependimento. Vamos acabar com tudo que há de tortuoso, obscuro e orgulhoso em nossas vidas para que o rei da glória entre. Para que ELE possa vir a nós no Natal como ELE quer.
E a melhor maneira de fazer isso é confessar, um por um, por mais horrível que seja, os pecados e pedir perdão. Hoje eu coloco diante de vocês o sinal vermelho. Parem o carro da vida e pensem: para onde eu estou indo? Isto é o que nos diz João Batista a cada um de nós, dentro do mundo em que vivemos neste ano de 2008. Só assim entenderemos o verdadeiro, mas tão pouco falado, sentido do Natal.
Oremos:
Senhor, nosso Deus, ajuda-nos a fazer o retorno, cria tu em nós o verdadeiro arrependimento, aquele que produz frutos; faze-nos mudar de vida, para que este Natal não seja uma farsa, uma brincadeira em teu nome, mas realmente tua visita a nós. Em nome de Jesus. Amém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este Comentário será exibido após moderação dos Editores da equipe Plugados com Deus!