O Salmo de Maria


Lc 1:46-55 Então, disse Maria: A minha alma engrandece ao Senhor,47 e o meu espírito se alegrou em Deus, meu Salvador,48 porque contemplou na humildade da sua serva. Pois, desde agora, todas as gerações me considerarão bem-aventurada,49 porque o Poderoso me fez grandes coisas. Santo é o seu nome.50 A sua misericórdia vai de geração em geração sobre os que o temem.51 Agiu com o seu braço valorosamente; dispersou os que, no coração, alimentavam pensamentos soberbos.52 Derribou do seu trono os poderosos e exaltou os humildes.53 Encheu de bens os famintos e despediu vazios os ricos.54 Amparou a Israel, seu servo, a fim de lembrar-se da sua misericórdia55 a favor de Abraão e de sua descendência, para sempre, como prometera aos nossos pais.
Tudo no natal é mega. Mega árvores, mega promoções, mega corais, mega praças, enfim, tudo parece ficar maior, mais amplo. Para onde quer que olhemos não há espaço para o simples e o pequeno. Cada vez mais distorcemos e nos afastamos do verdadeiro significado dessa festa tão celebrada mas tão pouco entendida.
Para enaltecermos devidamente o natal, precisamos fazer um esforço mental grande para entendermos a seguinte verdade: Deus não age conforme as diretrizes humanas, mas exclusivamente de acordo com a sua vontade Santa, Livre e Soberana. Isto é o que deveríamos aprender hoje do cântico de Maria. Este cântico é também chamado de Magnificat que é a tradução da primeira palavra desse hino na versão latina da Bíblia. Ele é o mais antigo salmo do Advento que conhecemos.
Aqui temos uma Maria cheia do Espírito Santo, suas palavras não transmitem um lirismo adocicado mas falam de grandes coisas que Deus fez e faz. Fala de tronos e poderosos derrubados e de miseráveis erguidos do pó; de ricos que são despachados de mãos abanando, e de pobres e famintos repletos de bens. Um Deus revolucionário e subversivo! Calma que explicaremos o significado: esta palavra vem de subverter que dentre tantas coisas também significa
aquele que expressa idéias, pensamentos, opiniões opostos ou profundamente diferentes dos da maioria, que, por isso, freq. se sente ameaçada. É neste sentido que afirmamos que Deus é subversivo. Ele põe nossos conceitos, nossos orgulhos, nossos pensamentos de pernas pro ar, subverte, volta de baixo para cima toda nossa escalada de valores vãos.
É por isso que eu disse no início que precisamos de grande esforço mental para compreender verdadeiramente a ação de Deus no natal. Em vez de fazer uso de um militar, de um rei, ou de um outro expoente da sociedade da época ele usa uma pobre mulher e marceneiro, nasce também em um lugar esquecido chamado Belém e num local inapropriado para uma criança(uma manjedoura). Deus na pessoa de Jesus continua agindo assim, ele chamou pescadores sem cultura, em vez de dirigir-se a filósofos da época ou então a rabinos, em vez de procurar os crentes notórios e conhecidos ele vai a prostitutas e odiados cobradores de impostos. Deus vai a elementos que estão lá em baixo, vai a elementos que pensamos não existirem.
Vejam amados irmãos e amigos a escolha de Maria foi um verdadeiro absurdo dentro dos nossos valores rotos. E porque Deus lança mão de Maria? Não devido a méritos humanos que a fizessem merecedora, mas, única e exclusivamente porque Deus, em sua bondade, ama, escolhe e engrandece o pequeno, o insignificante. E o menino Jesus na sua manjedoura? Deus não se envergonha da pequenez humana. Ele escolhe uma pessoa, penetra no nosso meio e faz milagres de onde não esperamos. Deus detesta padrões pré-estabelecidos. Deus salva. Onde dizemos não! Deus diz sim! Onde nós desviamos o olhar orgulhosos ou indiferentes, é lá que Deus olha com mais amor e calor.
Que este cântico do Advento nos ajude a entender que se quisermos ter um caminho para Deus, ele não poderá andar pelas alturas, mas terá que ir realmente as profundezas, aos pequenos, humildes e necessitados. E isso tem que acontecer. Deus não permite que zombemos dele. Deus não consente que celebremos o Advento, ano após ano, sem levá-lo realmente a sério. Deus cumpre o que diz; e há de derrubar todos os poderosos do seu trono, tanto pequenos quanto grandes. Qual tem sido nosso comportamento diante de nossas empregadas, dos taxistas, das faxineiras, dos engraxates, dos contínuos, dos porteiros, e assim por diante. Deus valorizou os pequenos e humildes. Se nós não entendermos essa valorização é porque ainda não compreendemos a mensagem contida no cântico de Maria. Nos humilhemos diante de Deus e permitamos que somente ELE seja exaltado.
Deus nos iIumine.
Oremos:
Senhor, ajuda-nos a aceitar o desafio que nos propões e voltar de "baixo para cima" nossa escalada de valores, para que nos dediquemos àqueles que tu te dedicaste e não aos que nos são interessantes. Por Jesus Cristo Amém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este Comentário será exibido após moderação dos Editores da equipe Plugados com Deus!