Cristo no Pentateuco – Parte Final

CRISTO NO PENTATEUCO PARTE FINAL- CONT LIVRO DE LEVÍTICO

Sem. René Montarroyos
O Sumo Sacerdote- Na consagração de Arão como Sumo Sacerdote e no seu sacerdócio referido neste livro, temos uma figura do nosso grande Sumo Sacerdote Cristo. E na consagração dos seus filhos e nos seus privilégios temos exemplificado o sacerdócio de todos os verdadeiros crentes em Cristo Jesus, dos que, como diz o Apóstolo Pedro, não só tem provado que o Senhor é benigno mas que se tem chegado para ele como uma pedra viva eleita por Deus e preciosa.


1pedro2: 3-5 se é que já tendes a experiência de que o Senhor é bondoso.4 Chegando-vos para ele, a pedra que vive, rejeitada, sim, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa,5 também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo.

Na consagração e no privilégio dos levitas vemos uma figura dos que o Senhor chama para O servir de um modo especial entre o seu povo.



Na história de Nadab e Abiú no capítulo 10, temos um exemplo solene da verdade de que todo acesso a Deus e tudo que diz respeito ao seu Santo Serviço, tem de se basear na cruz de Cristo. Os incensários dos sacerdotes deviam-se acender com fogo do altar e só este fogo eles poderiam entrar na presença de Deus, e ocupar-se no seu serviço (Lv 16:22; Nm 16:46). A introdução da natureza humana e da vontade desta natureza, no serviço e no culto ao Senhor participa do caráter do pecado de Nadab e Abiú em usar fogo estranho. E o que aconteceu a eles? Lv 10:2 Então, saiu fogo de diante do SENHOR e os consumiu; e morreram perante o SENHOR.

Não precisamos andar muito para vermos "igrejas" completamente mortas pelo fogo verdadeiro do Senhor, como Juízo contra elas.



Regras para a Vida Diária- Muitos capítulos do livro de Levítico contém leis e regras para a vida diária do povo de Deus. Mostram-nos como é grande o interesse de Deus pelo bem-estar tanto dos corpos quanto dos espíritos do seu povo. As palavras limpo e santo ocorrem inúmeras vezes nestes capítulos. Parece não haver qualquer detalhe da vida diária, quer com respeito à própria pessoa, ao seu alimento, roupas,vida privada, higiene, negócios, trabalho ou qualquer outra fase da vida, que seja pequena demais para Deus não se importar e regular. Lembremos que isto é confirmado no NT 1 Coríntios 10:31 Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deu;
2 Coríntios 7:1 Tendo, pois, ó amados, tais promessas, purifiquemo-nos de toda impureza, tanto da carne como do espírito, aperfeiçoando a nossa santidade no temor de Deus.



A purificação dos Leprosos- A lepra era um terrível mal, que no principio passava quase que desapercebidamente,mas, depois tornava-se algo imundo e mal cheiroso. Hoje tem o nome de Hanseníase. Essa é uma figura apta para demonstrar o caráter corruptor do pecado. E assim é usado nas Sagradas Escrituras. Deus é nos apresentado como o único que pode curar. Vamos ver as figuras dos rituais descritos no capítulo 14 pois nelas encontramos algumas das mais preciosas verdades do evangelho de Jesus.

O leproso estava excluído do arraial achando-se afastado do santuário e da presença de Deus. Vivia longe revolvendo-se na sua miséria e indignidade (Rm 3.23). Porém Deus que infinito em miséricordia vem ao encontro desse homem com derramamento de sangue pois, Hebreus 9:22 Com efeito, quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e, sem derramamento de sangue, não há remissão.

Bom notarmos aqui que o derramamento de sangue de duas aves limpas é a base da purificação do leproso.

Verifiquemos outra parte do ritual

4 então, o sacerdote ordenará que se tomem, para aquele que se houver de purificar, duas aves vivas e limpas, e pau de cedro, e estofo carmesim, e hissopo.5 Mandará também o sacerdote que se imole uma ave num vaso de barro, sobre águas correntes.6 Tomará a ave viva, e o pau de cedro, e o estofo carmesim, e o hissopo e os molhará no sangue da ave que foi imolada sobre as águas correntes.7 E, sobre aquele que há de purificar-se da lepra, aspergirá sete vezes; então, o declarará limpo e soltará a ave viva para o campo aberto.

Muitas são as figuras descritas aqui neste ritual mas destacaremos as principais.

A escolha das duas aves levam-nos a pensar nos céus, e no caráter celeste do verdadeiro sacrifício de Cristo. Precisariam ser duas para também para completar a dupla figura da morte e ressureição de Cristo.

No vaso de barro e nas águas correntes também vemos a Cristo. Pois ele se encarnou assumindo a forma fraca de servo esvaziado-se ARA Filipenses 2:7 antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, com um único objetivo de morrer na cruz pelos nossos pecados.

A água viva também claramente identificamos como Jesus, leiamos a confirmação do NT ARA João 4:10 Replicou-lhe Jesus: Se conheceras o dom de Deus e quem é o que te pede: dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva. Essa água viva do Espírito Santo nos purificou e nos lavou de nossa imundície do pecado.



A festa anual das Expiações- O livro de Levítico tem sido chamado o livro do santuário. E justamente o santuário ou templo era a base da vida do povo de Israel. Nele habitava a glória de Deus e nessa festa um único dia por ano abria-se o local mais íntimo do santuário. Arão não podia entrar nesse local sem ter o sangue do sacrifício nas mãos que nos faz lembrar...

Hebreus 9:28 assim também Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o aguardam para a salvação.
ARA Hebreus 9:12 não por meio de sangue de bodes e de bezerros, mas pelo seu próprio sangue, entrou no Santo dos Santos, uma vez por todas, tendo obtido eterna redenção.



Após ter apresentado os seus sacrifícios, Aarão primeiro fazia expiação por si e por sua casa, imolando o novilho determinado, e então com o incenso e com sangue da vítima da expiação entrava no santuário, espargindo diante dele 7 vezes para atestar o caráter perfeito do sacrifício lembremos que todas as vezes que este numero é apresentado significa perfeição e totalidade de Deus.



Depois havia dois bodes, o emissário e o que ficava para ser imolado. Sobre o emissário o sacerdote botava suas mãos e confessava todo o pecado e o mandava para o deserto.

Os dois bodes significavam uma só oferta, mas ambos eram necessários para completar a figura. O bode que morria significava a perfeita satisfação do juízo divino punindo os pecados com o derramamento daquele sangue e o outro nos fala do perdão completo e a justificação destes pecados ARA Atos 13:39 e, por meio dele, todo o que crê é justificado de todas as coisas das quais vós não pudestes ser justificados pela lei de Moisés.



Esperamos que este breve estudo possa despertar os irmãos para as maravilhas do Pentateuco e que não os consideremos escrituras de segunda classe.


Leia o Estudo a partir do começo! Clique aqui
O Senhor nos Ilumine.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este Comentário será exibido após moderação dos Editores da equipe Plugados com Deus!