A GLORIA DE DEUS PARTE I

Rev. Gaspar de Souza*
Soli Deo Gloria! O dístico da Reforma Protestante mais esquecido em nossos dias. Não quero dizer que os outros (Sola Scriptura, Sola Fide, Sola Gratia e Solus Christus) não sejam também esquecidos. Embora todos estejam unidos, a Glória de Deus é a mais rejeitada por causa da própria natureza humana. E por que isto? Porque os outros dísticos podem sem usados ou deturpados para glória do Homem e não para a Glória de Deus.
Glorificar a Deus é o fim principal do Homem e isto em todas as áreas de sua vida. Quando isto não acontece, então a Glória de Deus é roubada. E, não tenho dúvidas, de que desde muito tempo há uma erosão nesta doutrina tão defendida pelos Reformadores: "o mais importante propósito da vida humana é glorificar a Deus"(VOS, 2007, p. 32). É ter "negócios com Deus", como diria João Calvino, pois a "existência humana é vivida Coram Deo[1], 'diante de Deus' ou 'na presença de Deus'"(GEORGE, 1994, p. 60).
O Antropocentrismo, isto é, a "crença que atribui ao ser humano uma posição de centralidade em relação a todo o universo, seja como um eixo ou núcleo em torno do qual estão situadas espacialmente todas as coisas (cosmologia aristotélica e cristã medieval), seja como uma finalidade última, um télos que atrai para si todo o movimento da realidade (teleologia hegeliana)"(adaptado HOUAISS, 2005), é a forma que está em ação e em evidência em nossos dias, como nunca dantes.
Nosso objetivo com este texto é apresentar uma visão bíblica para uma vida teo-referente, ou seja, uma vida que tenha a Deus como referência suprema em todas as áreas do viver, fundamentada nas palavras paulinas: "quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus"(1 Co 10.31), de modo que venhamos mais a amar a glória de Deus do que a glória dos homens.
Glória de Deus
Definindo biblicamente a expressão "glória de Deus", comecemos pelo Antigo Testamento. O termo comum para "glória" é dwbk (kabod) cujo sentido inicial é "ser pesado", mas que figuradamente expressa alguém "de peso" na sociedade, "alguém que é honrado, marcante, digno de respeito"(DITAT, 1998, p. 695). No sentido negativo pode significar "severidade" (Ex 5.9; 1 Re 12.10), tal como aplicado ao pecado de alguém (Is 1.4; Pv 27.3). Já no uso positivo, é a reputação de alguém que está em vista (Nm 22.15). Neste sentido implica em honra, respeito, atenção e obediência (idem, p. 697). Porém, é em referência a Deus que o termo dwbk assume o mais incomum e peculiar sentido. A princípio é uma manifestação visível de Deus, uma auto-revelação de Deus associada à sua santidade; segundo, é a vontade de que os Homens conheçam a Sua realidade e esplendor (idem, p. 697), cujo impacto leva o Homem a fé e obediência, tendo o seu caráter moldado pelo assombro de Deus! É isto que aconteceu na Encarnação de Jesus Cristo (Jo 1. 14; 17. 1 – 5). É Cristo Jesus, por isso mesmo, chamado "Senhor da Glória" (1 Co 2.8; Tg 2.1) – no AT Yahweh é chamado "Rei da Glória"(Sl 24. 9, 10). É o não reconhecimento da presença divina ou transferência da honra devida ao Senhor Deus que constitui idolatria. Reconhecer as suas obras (Ex 14. 7 – 18; Sl 19.1; 96.3)
*O Rev. Gaspar de Souza, entre outras atribuições, é Professor de Hebraico no SPN em Recife.
Continua na parte II

 

Um comentário:

  1. muito interessante o texto sobre a gloria de Deus, pois nos ultimos dias os homens estão realmente voltados para si ( Antropocentrismo), por esta razão não enchergam essa Gloriaaaaaaaa!

    ResponderExcluir

Este Comentário será exibido após moderação dos Editores da equipe Plugados com Deus!