Jejum – A Ultima Fronteira

O QUE É JEJUM?

O Jejum é o passar algum tempo sem ingerir alimento ou água e não meramente o evitar certos alimentos que engordam o corpo.
Há o jejum parcial, normalmente exercitado durante tempo maior do que o tempo dos intervalos convencionais entre uma refeição e outra ou a supressão de alguns alimentos. Uma alteração tanto em quantidade como em qualidade. Em razão disso esse jejum pode ser a abstenção de alimentos saborosos e o uso exclusivo de alimentação bem simples, como o pão e a água.
Jesus praticou o jejum como elemento profundamente necessário à sua vida, ministério e devoção.
"A seguir, foi Jesus levado pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo. E depois de jejuar quarenta dias e quarenta noites, teve fome." (Mt 4: 1, 2.)
Jesus disse que o jejum deveria ser uma das mais sigilosas e secretas práticas, pelo menos durante a sua realização.
"Quando jejuardes,. não vos mostreis contristados como os hipócritas; porque desfiguram o rosto com o fim de parecer aos homens que jejuam. Em verdade vos digo que eles já receberam a recompensa. Tu, porérn quando jejuares, unge a cabeça e_laya o rosto;
a fim de não parecer aos homens que jejuas, e, sim, ao teu Pai em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará." (Mt 6:16-18.)
Jesus colocou o jejum rigoroso e sério na condição de meio de graça e poder espiritual, em razão do quebrantamento da carne. Creio que na fraqueza e mortificação dos apetites da carne há uma maior manifestação do poder de Deus.
"Mas esta casta não se expele senão por meio de oração e jejum." (Mt 17:21.)
"Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando sou fraco, então é que sou forte." (2 Co 12: 10.)

O QUE O JEJUM EXPRESSA ?
a - Tristeza: Em 1 Samuel 31: 13; 2 Samuel '1: 12 e 3:35; Neemias 1 :4; Ester 4:3 e Salmo 35: 13, 14, o jejum é a expressão da tristeza pela morte ou por notícias trágicas. Nesse sentido o Novo Testamento já não o recomenda pelo fato de que devemos aprender a viver contentes e em louvor em toda e qualquer situação (Fp 4:4; 4:11,12; 1 Ts 5:18.)
b - Tristeza pelo pecado e busca de restauração: Em 1 Samuel 6; 1 Reis 21:27; Neemias 9:1, 2; Daniel 9:3, 4 e Jonas 3:5-8, o jejum era a expressão mais profunda do arrependimento e do homem pelo pecado.
c - Busca de orientação - Em Êxodo 34:28; 2 Crônicas 20: 1-4 e Esdras 8:21-23, o jejum é realizado na expectativa de que na presença de Deus seja revelada a "jornada feliz" e a orientação segura para o futuro.
d - Consagração de vidas para o ministério: Em Atos 13:2,3 e 14:23, o jejum era praticado antes e durante a ordenação e o envio de homens chamados por Deus para ministérios específicos no Reino -de Deus,

O jejum tem efeitos espirituais maravilhosos, Quando um homem jejua ele está, entre outras coisas, dizendo que a comunhão com Deus tem mais "sabor" do que os outros alimentos. Ele está, dessa forma espiritual, alimentando-se da presença de Deus. O jejum deve ser observância sistemática na atual vida da Igreja.
"Vieram depois os discípulos de João, e lhe perguntaram: Por que jejuamos nós e os fariseus (muitas vezes), e teus discípulos não jejuam? Respondeu-lhes Jesus: Podem acaso estar tristes os convida- . dos para o casamento enquanto o noivo está com eles? Dias virão, contudo, em que lhes será tirado o noivo, e nesses dias hão de jejuar. Ninguém põe remendo de pano novo em vestido velho; porque o remendo tira parte do vestido, e fica maior a rotura. Nem se põe vinho novo em odres velhos; do contrário, rompem-se os odres, derrama-se o vinho e os odres se perdem. Mas, põe-se vinho novo em odres novos e ambos se conservam." (Mt 9:14-17.)





O jejum era uma realidade na vida de Paulo e todos os apóstolos. "2 Corinthians 11:27
27 em trabalhos e fadigas, em vigílias, muitas vezes; em fome e sede, em jejuns, muitas vezes; em frio e nudez".

Existem jejuns específicos para a confrontação com castas malignas. Aqui deve-se ter em mente que o poder não está no jejum em si mas na motivação espiritual que leva ao quebrantamento diante de Deus que é a fonte doadora de todo poder e virtude.
. O jejum sincero e cheio de motivação de amor leva o homem quebrantamento.




QUANDO O JEJUM NÃO CONTA COM A APROVAÇÃO DE DEUS.



- Quando é feito com o coração contencioso e irado.
Isaiah 58:3-4
3 dizendo: Por que jejuamos nós, e tu não atentas para isso? Por que afligimos a nossa alma, e tu não o levas em conta? Eis que, no dia em que jejuais, cuidais dos vossos próprios interesses e exigis que se faça todo o vosso trabalho. 4 Eis que jejuais para contendas e rixas e para ferirdes com punho iníquo; jejuando assim como hoje, não se fará ouvir a vossa voz no alto.

- Quando a vida do praticante do jejum está envolta pelo pecado.
Jeremiah 14:10-12
10 Assim diz o SENHOR sobre este povo: Gostam de andar errantes e não detêm os pés; por isso, o SENHOR não se agrada deles, mas se lembrará da maldade deles e lhes punirá o pecado. 11 Disse-me ainda o SENHOR: Não rogues por este povo para o bem dele. 12 Quando jejuarem, não ouvirei o seu clamor e, quando trouxerem holocaustos e ofertas de manjares, não me agradarei deles; antes, eu os consumirei pela espada, pela fome e pela peste.

- Quando o coração não está quebrantado, o jejum é apenas passar fome
Zechariah 7:3-6
3 perguntaram aos sacerdotes, que estavam na Casa do SENHOR dos Exércitos, e aos profetas: Continuaremos nós a chorar, com jejum, no quinto mês, como temos feito por tantos anos? 4 Então, a palavra do SENHOR dos Exércitos me veio a mim, dizendo: 5 Fala a todo o povo desta terra e aos sacerdotes: Quando jejuastes e pranteastes, no quinto e no sétimo mês, durante estes setenta anos, acaso, foi para mim que jejuastes, com efeito, para mim? 6 Quando comeis e bebeis, não é para vós mesmos que comeis e bebeis?

-Quando o coração é soberbo e hipócrita, Deus não aceita a sua oferta religiosa do Jejum.

Luke 18:9-14
9 Propôs também esta parábola a alguns que confiavam em si mesmos, por se considerarem justos, e desprezavam os outros: 10 Dois homens subiram ao templo com o propósito de orar: um, fariseu, e o outro, publicano. 11 O fariseu, posto em pé, orava de si para si mesmo, desta forma: Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros, nem ainda como este publicano; 12 jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo quanto ganho. 13 O publicano, estando em pé, longe, não ousava nem ainda levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, sê propício a mim, pecador! 14 Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque todo o que se exalta será humilhado; mas o que se humilha será exaltado.



Ultimo alerta- Vivendo no poder .e na dependência' do Espírito, e na inteira disposição de glorificar o nome do Senhor Jesus, cada crente é uma autoridade sobre as obras demoníacas.entretanto, lembrem-se que Jejum não é algo mágico, um tipo de espinafre espiritual que te dará poder e lhe conectará aos céus de maneira instantânea. O jejum não depende de quem jejua, contudo, daquele que recebe ou não a oferta, respondendo-a de forma positiva ou negativa. Pois ELE sonda as motivações dos nossos corações e rejeita de forma contumaz a falsidade.
"Não obstante, alegrai-vos, não porque os espíritos se vos submetem, e, sim, porque os vossos nomes estão arrolados nos céus." (Lc 10:20.)

Fonte: Editora Mundo Cristão(adaptado).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este Comentário será exibido após moderação dos Editores da equipe Plugados com Deus!