Números - Serpente, Rocha e Vara


.


 Esta é a continuação de estudos de Cristo no Pentateuco .temos em foco o livro de Números. na parte final do post há um link para o estudo anterior. Bom deleite!
A Rocha e a Vara No capítulo 20 de Números temos a his­tória de como o povo, passando na sua peregrinação por um tempo do provação, em vez de contar com a suficiên­cia do Senhor e a Sua fidelidade, levantou-se em rebelião, con­tendendo com Moisés.
Este, com Aarão, lançou-se sobre o seu rosto diante da porta da tenda da congregação aparecendo-lhes então a glória do Se­nhor. E o Senhor falou com Moisés, dizendo: «Toma a vara, e ajunta a congregação, tu e Aarão, teu irmão, e falai à rocha perante os seus olhos, e dará a sua água» (ver. 8). Em seguida Moisés tomou a vara de diante do Senhor, como lhe tinha sido ordenado, e com Aarão, ajuntou a congregação diante da rocha, mas então, em vez de falar à rocha como lhe foi ordenado, falou asperamente ao povo e, em seguida, levantando a sua mão, feriu a rocha duas vezes com a sua vara, e saíram dela águas copiosíssimas, de sorte que bebeu o povo e os animais.
Tanto a rocha como a vara falam-nos aqui de Cristo, ainda que de modos diversos.   Acerca da rocha lemos em 1 Coríntios 10:4:   «Beberam da rocha espiritual que os seguia; e a rocha era Cristo». Isto pois é claro:a rocha era CristoCristo ferido por­ nós. Enquanto a vara que Deus mandou a Moisés tomar, é preciso notarmos que não foi a sua vara a vara de autoridade a vara de poder.   Com essa êle já uma vez feriu a rocha em Êxodo 17. A vara, pois, que o Senhor lhe ordenou que tomasse consigo foi a vara de Aarão, a vara do sacerdote, e com esta uma palavra já era o bastante para trazer a benção sobre o povo. É claro que essa vara não era para ferir e sim falar da graça divina pelo sacerdote escolhido.
A Serpente de Metal-  No capitulo 21 do nosso livro lemos de como na sua peregrinação o povo de Israel ia rodear a terra de Edom, e nessa altura  o povo se tornou impaciente (como sempre) e começaram a falar contra Deus e contra Moisés, o texto hebraico fala-nos que Murmu­raram amargamente contra Deus. E o Senhor logo julgamento a este pecado Números 21:6  6 Então, o SENHOR mandou entre o povo serpentes abrasadoras, que mordiam o povo; e morreram muitos do povo de Israel.  
A Ser­pente foi a resposta e julgamento às murmurações do povo; O carácter grave desta questão revela-se no fato das murmurações se derivarem não das cir­cunstâncias do povo, que já estavam vindo de uma vitória (vide números 21:3), mas do mal que havia nos seus corações. O mal vinha do dentro ; era o efeito da mordedura do pecado, da Serpente. Sofrendo já a consequencia da maldade dos seus corações, eles confessaram o seu pecado e pediram que Moisés orasse por eles ao Senhor. 
Foi esse o momento para a graça divina se manifestar no meio do povo. Quando Israel murmurou(reclamaram de Deus mesmo este lhes dando vitória e lhes abençoando em tudo) a resposta foram as mordeduras das serpentes ardentes (serafs em hebraico); quando confessou, foi a graça divina que lhes respondeu. A mesma serpente que foi o motivo da sua miséria foi também o meio da sua salvação e benção.
 A serpente levantada por ordem do Senhor, sobre a aste era a imagem daquilo que seu pecado havia produzido: O mal e a morte.
O Senhor Jesus nos apresenta este caso como sendo simbólico da salvação e vida nova que os homens haviam de achar n'Ele. Disse Ele : João 3:14-15  14 E do modo por que Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado,  15 para que todo o que nele crê tenha a vida eterna.
A primeira vista parece-nos bastante estra­nho achar na serpente levantada uma figura de Jesus, mas as palavras do  apóstolo Paulo explica-nos tudo. Diz êle : 2 Coríntios 5:21 -  21 Aquele que não conheceu pecado, ele (DEUS) o fez pecado por nós;
  Não temos aqui o pensamento da expiação, como se nos apresenta em Cristo como sendo o Cordeiro de Deus, mas sim o da condenação absoluta, na cruz de Cristo, do pecado na carne Romans 8:3   3 Porquanto o que fora impossível à lei, no que estava enferma pela carne, isso fez Deus enviando o seu próprio Filho em semelhança de carne pecaminosa e no tocante ao pecado; e, com efeito, condenou Deus, na carne, o pecado, Graças a Deus, o Senhor Jesus na cruz tratou da questão do nosso pecado de um modo absoluto e completo. Não só tratou de tirar os frutos mas de cortar a árvore pela raiz. Na serpente de metal sobre a aste o israelita via uma figura daquilo que tinha feito todo o mal, — mas agora estava morta.
Assim pensando em Cristo feito pecado por nós sobre a cruz, e do como o pecado na carne foi ali condenado, alegramo-nos em ver que tudo quanto somos por natureza como filhos de Adão, tem vindo sob a nossa condenação na cruz foi pago  João 19:30  30 Quando, pois, Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado! E, inclinando a cabeça, rendeu o espírito. Romanos 6:6  6 sabendo isto: que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos;
A resposta de Deus a toda à nossa ruína e rebelião é esta manifestação do Seu amor e graça no dom do Seu Filho, e a morte deste, pela qual, crendo, alcan­çamos a vida eterna. Romanos 6:11   11 Assim também vós considerai-vos mortos para o pecado, mas vivos para Deus, em Cristo Jesus. Romans 6:4   4 Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de vida.
Deste modo, seremos efetivamente livres de toda a murmuração e seremos antes preparados para darmos graças por todas as coi­sas a nosso Deus e Pai em nome do nosso Senhor Jesus Cristo (Efés. 5:20).
Continua no próximo estudo
Caso tenha perdido estudo anterior clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este Comentário será exibido após moderação dos Editores da equipe Plugados com Deus!