O Excêntrico e Importante Profeta João

JOÃO BATISTA, UMA VIDA A SER CONSIDERADA

"Eu vos digo que entre os nascidos de mulher, ninguém há como João"Lc 7:28

João batista foi alguém especial, como testemunhou Jesus (Lc. 7:28). Houve profecias sobre seu ministério e missão, "porque este é o referido pelo profeta Isaías: voz do que clama no deserto, preparai o caminho do Senhor" (Mt 3:3; Is 40:3; Ml 3:1). João, desde cedo, optou por uma vida simples e introspectiva, longe dos "agitos" de um centro urbano, ele "viveu nos desertos até ao dia em que havia de manifestar-se a Israel" (1:80). Ele foi um nazireu (pessoa de consagração exclusiva ao serviço do Senhor), e tinha uma disciplina alimentar rígida e saudável, "não bebia vinho, nem bebida forte". Ele foi um homem "cheio do Espírito Santo desde o ventre materno"(lc 1:15). Seu estilo de vida e modo de ser era diferente, ele "usava vestes de pêlo de camelo e um cinto de couro", sua dieta alimentar era constituída de "gafanhotos e mel silvestre"'(Mt 3:4).
Apesar de saber da importante de seu ministério e, chamado, João não escolheu grandes centros urbanos, nem local estratégico para exercer seu ministério. Sua escolha foi o deserto, "naqueles dias, apareceu João batista pregando no deserto da Judéia" (Mt 3:1). A sua mensagem era bastante clara e objetiva, "arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus" (Mt.3:2).
ela era, também, abrangente e corajosa, pois denunciava os pecados morais e sociais de sua época, como a pobreza, maus tratos e tortura, abuso de poder e corrupção (Lc 3:10-14; 17-20). E apesar de uma mensagem tão confrontadora, seu ministério obteve um alcance e procura enorme, "saiam a ter com ele Jerusalém, toda Judéia e toda a circunvizinhança do Jordão"'(Mt 3:5). Por ter sido um homem fiel ao chamado e a Palavra de Deus, "a mão do Senhor era com ele"(Lc1:66). Apesar de sua fama, ele sempre deixou claro uma coisa, "eu não sou o Messias, nem sou digno de desatar-lhe as sandálias" (Jo 3:28b,27). Para ele, o que convinha era que o nome e a pessoa de Jesus "cresça e que ele (João) diminua" (Jo 3:30).
As características do ministério de João deixavam evidentes o seu chamado e o tipo de vocação que recebeu, "converter muitos dos filhos de Israel ao Senhor"'(Lc 1:16), levando-lhes o "conhecimento da salvação, redimindo-lhes dos seus pecados" (lc 1:17). João não se deixou desviar de seu ministério, pois foi "adiante do Senhor para: converter o coração dos pais aos filhos, converter os desobedientes à prudência dos justos, e habilitarpara o Senhor um povo preparado(lc 1:17). Isso deveria servir de referência de vida para todo discípulo de Jesus, mas, principalmente, uma referência de vida e ministério para os pastores e profetas do Senhor. A semelhança de João batista, nós deveríamos dar esse rumo aos nossos ministério nesses dias de tanta desobediência, desvios, confusão teológica e pecado na Igreja.
João batista viveu sua vida para cumprir esse propósito e vocação. Ele não buscou glória nenhuma para si. Ele enfrentou todas as dificuldades e oposições sem perder a fé e o rumo. Por fim, ele morreu no cumprimento de sua missão. Não foi por acaso que Jesus chamou a atenção para a sua vida quando afirmou, "não houve entre os nascidos de mulher, ninguém como ele"'(Lc 7:28).
0 nosso desejo e oração é que o Senhor nos conceda a graça de vivermos vidas marcadas por características semelhantes.
Rev. Cláudio Albuquerque

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este Comentário será exibido após moderação dos Editores da equipe Plugados com Deus!