Qual a Semelhança Entre a Bíblia e a Novela?



Gênesis 04: 01-26 - Pr. Kenneth Wieske




sábado, 24 de fevereiro de 2007
Pr. Kenneth Wieske

Texto:  Gênesis 4:1-26


Amados em nosso Senhor Jesus Cristo:

Se você já assitiu uma novela, você sabe que ela é algo cheio de infidelidade, brigas, assassinatos, imoralidade, traição, e outras coisas vergonhosas. Se alguém consegue ficar assistindo tais coisas, e até goza de presenciar tal imundícia, é questionável que ele ou ela seja uma nova criatura.

Às vezes, a Bíblia se parece com uma novela. Logo nos primeiros quatro capítulos da Sagrada Escritura, encontramos infidelidade, brigas, assassinatos, imoralidade, traição e outras coisas vergonhosas. A Bíblia até contém descrições de pecados tão horríveis que nem a novela mais imunda teria a ousadia de colocar tais coisas no roteiro.

Qual é a diferença, então, entre a Bíblia e as novelas? Em primeiro lugar, as novelas tiram as suas idéias da imaginação pervertida do homem; enquanto a Bíblia é um registro histórico de coisas que realmente aconteceram. Em segundo lugar, as novelas nos mostram o pecado com o fim de entretenimento; a Bíblia, porém, nos mostra o pecado com o fim de advertência.

Lembre-se disto, quando você estiver lendo a história do povo de Deus no Antigo Testamento. O Espírito Santo não inspirou o registro desta história para nos divertir. Ele tem dois propósitos: em primeiro lugar, Ele quer mostrar as grandiosas obras de Deus para com Seu povo, através da história. Em segundo lugar, Ele quer nos instruir por meio dos erros e sucessos dos nossos antepassados.

É isto que achamos no capítulo 4 de Gênesis. É o último capítulo da primeira seção —do primeiro toledot. Vocês se lembram que o primeiro toledot (Gênesis 2:4 até o fim de capítulo 4) é a descrição do que aconteceu com o universo depois da sua criação. No início da seção, tudo está perfeitamente bem. No fim, nós achamos uma criação debaixo da maldição, uma raça humana dividida, e aparentemente os seguidores do mal estão mandando aqui na terra.

Não é um quadro muito agradável. Todavia, Deus no capítulo 4 de Gênesis está nos revelando Seu poder e Sua glória; e ao mesmo tempo Ele quer nos ensinar pelas experiências do Seu povo.

Eu proclamo o evangelho de Jesus Cristo em nosso texto:

Deus mantém a oposição entre a semente da serpente e a semente da mulher

1. A arrogância da semente da serpente
2. A humildade da semente da mulher




1. EM PRIMEIRO LUGAR, VEMOS A ARROGÂNCIA DA SEMENTE DA SERPENTE.

Quando Eva comeu do fruto, ela não tinha a menor idéia das conseqüências gravíssimas do pecado. Ouvimos na pregação anterior que o pecado trouxe pelo menos seis conseqüências sérias: quebrou o relacionamento entre homem e Deus, entre homem e mulher, entre homem e os animais, e entre o homem e a criação; causou a morte física, e privou o homem do direito de viver na presença de Deus.

Talvez você ache que isto já basta. Mas, quando chegamos no capítulo 4, vemos que o pecado continua destruindo, através das gerações. O que começou com uma simples mordida desobediente, logo leva a um homem matando seu próprio irmão. Tudo isto em uma geração. Pense nisto, irmão. Seus filhos, seus netos vão sofrer no futuro por causa das suas decisões erradas hoje. Não é possível pecar em isolação — o pecado é como um câncer que atinge todos os relacionamentos e todas as partes da nossa vida.

Veja — e aprenda! — como o pecado floresce! Eva precisava de uma serpente para enganar e seduzi-la, mas Caim não precisa de nenhuma ajuda para se entregar ao pecado. Eva pecou por querer experimentar algo que achou que seria muito agradável e bom; Caim peca por pura maldade. Adão e Eva fogem da presença de Deus, envergonhados; Caim enfrenta Deus com impudência (desrespeito), "Acaso, sou eu tutor de meu irmão?" Adão e Eva aceitaram seu castigo sem reclamação — sabiam que era merecido! — mas Caim reclama a alta voz que ele não deve sofrer as conseqüências dos seus pecados.

Caim é a primeira prova da doutrina de depravação total. Ele é o primeiro idólatra. Traz ofertas ao SENHOR, não para a glória de Deus, mas numa tentativa de comprar o favor de Deus. Abel traz das primícias e da gordura do seu rebanho. Em outras palavras, Abel traz as primeiras coisas e as melhores coisas para sacrificar a Deus. Abel mostra gratidão, pois ele traz as melhores provas da graça de Deus em sua vida. Mas Caim não. Ele pega qualquer coisa, e tenta comprar as bênçãos de Deus. Ele não agradece, ele cobra. Ele é um arminiano da segunda geração.

Caim não era diferente dos idólatras que nos cercam em nossos dias; pessoas que acham que uma miserável oferta de tempo, de dinheiro, ou aflições escolhidas de propósito… que uma tal miserável oferta pode impressionar Deus e obrigá-Lo a derramar bênçãos. Esta atitude blasfema — que acha que Deus pode ser subornado! — achamos em todas as falsas religiões desde Caim até hoje.

A Bíblia diz na carta aos Hebreus, que Abel trouxe um melhor sacrifício pela fé. Abel tinha o conhecimento, e a certeza do que Paulo fala em Romanos 11:35, "quem lhe deu primeiro a Deus, para que lhe seja recompensado?"

Abel cria na graça de Deus — e por isto, Caim o matou. Pare um momento, e reflita. Não tem coisa que deixa o homem mais aborrecido do que a graça de Deus. No fundo da nossa natureza pecaminosa, não aceitamos que Deus não nos deve nada, e que nós devemos tudo a Deus. Queremos um Deus que podemos manipular. Queremos um Deus que podemos comprar. Quando a graça de Deus nos confronta, ou nós caímos no chão em adoração, ou rangemos os dentes em frustração e rebelião.

Abel, com sua vida de santidade e fé, era uma pregação ambulante da graça de Deus. Por isto, Caim o matou. Você está sendo perseguido por seu marido, por sua esposa, por seus familiares, por seus colegas, por causa das doutrinas da graça? Não fique admirado. Por natureza, o homem abomina a graça, e por isto abomina todos aqueles que pregam a graça com palavras e pela vida. A Bíblia diz, "todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos."

Será que o pecador pode chegar a ser mais arrogante do que Caim? Ele tenta manipular Deus. Ele mata seu próprio irmão duma forma premeditada. Ele fala a Deus sem respeito. Ele se queixa contra seu castigo. E depois de tudo isto, ele tenta recusar o justo juízo de Deus. Deus disse que ele seria um fugitivo e errante pela terra; mas Caim se rebela contra o julgamento de Deus: ele constrói uma cidade.

Irmãos, se o pecado já brotou e floresceu e produziu frutos tão venenosos na segunda geração, como será a sétima geração? Achamos a resposta nos versículos 18-24. Lameque é a sétima geração de pecadores. E, como ele representa o ápice do pecador rebelde! Ele tem duas mulheres — Ada, e Zilá. O nome Ada implica que ela era formosa, e o nome Zilá implica uma bela voz. Lameque escolheu suas esposas conforme a cobiça dos seus olhos; ele vive em perversão sexual, não respeitando a norma do casamento que Deus instituiu entre um homem e uma mulher.

Lameque se orgulha de seus pecados. Ele canta um hino de louvor para si mesmo. Ele se acha impressionante! Se Caim precisava de Deus para o proteger, Lameque afirma que ele pode cuidar de si mesmo! Ele mesmo vai se vingar 70 vezes 7. O cântico de Lameque mostra até que profundeza o homem pecador tem chegado depois de 7 gerações. Ele está cheio de si mesmo. Ele canta muitas vezes sobre "eu" e "mim".

Quando chegamos na época de Lameque e seus filhos, achamos a raça humana que tem se endurecido em sua rebelião contra Deus. Eles estão vivendo em perversão sexual. Eles estão matando uns aos outros — com a tecnologia de Tubalcaim eles podem matar de uma forma muito mais eficaz. Eles estão construindo cidades, e desenvolvendo música, cultura, e tecnologia, mas tudo no contexto do "EU". Tudo para a glória do homem.

Se olhamos este quadro de uma humanidade violenta, pervertida, se entregando aos seus prazeres, cheia de orgulho e arrogância, pronta para matar e destruir uns aos outros, confiando em sua própria força e sabedoria… se olhamos este quadro, devemos dizer que não mudou muito em milhares de anos. Essa pode ser a descrição da nossa sociedade hoje em dia.

Isto é o fim daqueles que vivem sem Deus. Eles se perdem em sua arrogância.

Parece que o mundo está cheio da semente da serpente. Mas onde está a semente da mulher?




2. ISTO NOS LEVA AO SEGUNDO PONTO: A HUMILDADE DA SEMENTE DA MULHER.



Se nós procuramos a semente da mulher em nosso capítulo, parece um fracasso total. Adão e Eva não conseguem criar seu primeiro filho no temor do SENHOR. O segundo filho eles perdem duma forma violenta. O terceiro filho sobrevive, e a linha da mulher até chega à terceira geração, mas onde está a vitória? Onde está a semente da mulher, que supostamente vai acabar com a semente da serpente?


Não lemos que Sete ou Enos estão construindo cidades; não lemos que eles estão desenvolvendo a cultura, a música, a tecnologia. Comparado com os filhos do diabo, os filhos de Deus parecem ser um grupo pequeno, fraco e sem importância.



Irmãos, prestem atenção, pois é exatamente aqui que Deus quer nos ensinar. Quem está realizando coisas impressionantes neste capítulo não são os filhos do diabo. Eles estão se gloriando em suas obras grandiosas, e em sua autonomia. Mas os filhos de Deus estão realizando o que é mais difícil e mais importante do que qualquer outra coisa: eles estão vivendo na dependência de Deus.



Com certeza os filhos de Deus estavam construindo casas e desenvolvendo a terra para conseguir roupas e comida. Mas a Bíblia não acha importante chamar atenção a estas coisas. O Espírito Santo achou importante chamar nossa atenção ao fato que os filhos de Deus estão vivendo pela fé. Quatro vezes no capítulo 4, vemos os filhos de Deus vivendo em total dependência de Deus.


Eva confessa (v. 1) que ela deu luz a um menino com o auxílio do SENHOR. Abel traz uma oferta ao SENHOR pela fé; ele mostra sua gratidão pela graça de Deus. Eva, depois de perder dois, filhos — um para o mundo, o outro para a morte — confessa (v. 25) que Deus não esqueceu de sua promessa, mas que Ele concedeu uma outra semente em lugar de Abel. Em outras palavras, Eva estava confessando sua fé em Deus! Ela estava dizendo: parece que a linha da mulher é nada, e que a semente da serpente está crescendo e reinando aqui na terra. Mas, Deus é fiel à Sua promessa; eu confio nEle. Ele vai preservar a linha da descendência da mulher. No versículo 26, vemos que isto se torna uma prática comum para os filhos de Deus: eles começam a invocar o nome de Deus.

Os filhos da desobediência estão vivendo em arrogância, seguros em sua suposta autonomia. Mas os filhos de Deus estão vivendo em humildade, seguros em sua dependência.

Aqui Deus nos ensina Seu poder e Sua glória. A Bíblia diz, "o Meu poder se aperfeiçoa na fraqueza." Deus de propósito não matou Caim, mas deixou a semente da serpente crescer em poder e arrogância. Por que? Porque Deus quer manifestar Seu poder pela fraqueza. Ele não escolhe o que é importante aos olhos do homem. Ele não escolhe o primogênito, mas o terceiro filho. Ele não está com os arrogantes, mas com os humildes. E Ele sempre faz assim!

Paulo, em 1 Coríntios 1:26 diz, "Irmãos, reparai, pois na vossa vocação; visto que não foram chamados muitos sábios segundo a carne, nem muitos poderosos, nem muitos de nobre nascimento; pelo contrário, Deus escolheu as coisas loucas do mundo para envergonhar os sábios e escolheu as coisas fracas do mundo para envergonhar as fortes; e Deus escolheu as coisas humildes do mundo, e as desprezadas, e aquelas que não são, para reduzir a nada as que são; a fim de que ninguém se vanglorie na presença de Deus."

Se você quer ser alguém importante; se você quer influência, ou poder; se você quer ser conhecido e importante neste mundo… é melhor sair da Igreja logo. No povo de Deus não tem muito destas coisas. Tem fraqueza, tem humildade, tem dependência total de Deus.

Quando lemos a história das obras de Deus através dos séculos, vamos ver a cada vez de novo que Ele trabalha pela fraqueza.

Quem vai sobreviver ao dilúvio? Será Noé, um humilde descendente de Sete; os filhos arrogantes de Caim perecerão, junto com todas as suas obras em que se gloriaram.

Quem vai ser escolhido como o povo de Deus? Será a humilde nação de Israel; Deus vai rejeitar os grandes impérios deste mundo.

Mas o exemplo maior do poder de Deus se manifestando na fraqueza é o nascimento da Semente da mulher — o Descendente que Deus prometeu que iria esmagar a cabeça da serpente. Aquele que é Filho do Deus Altíssimo, nasceu em toda fraqueza num simples abrigo para animais. Aquele que foi exaltado como Rei dos reis e Senhor dos senhores, passou 30 anos como o simples filho dum carpinteiro. Aquele que iria acabar com o poder do Diabo, morreu na cruz em toda fraqueza e vergonha. Ele se entregou completamente a Deus; Ele viveu dependendo completamente de Deus. E por isso, Deus o exaltou e lhe deu o nome que está acima de todo nome.

Qual é a prioridade em sua vida, irmão? Você está correndo atrás das coisas que o mundo valoriza? Você está se esforçando para engrandecer seu nome e impressionar os homens com seus sucessos? Será que você é tão empolgado com estas coisas que você até sai da casa de manhã correndo, esquecendo de começar o dia "invocando o nome do SENHOR?" Pare. Reflita. Aprenda, irmão. Qual é a prioridade em sua vida?

No capítulo 4 de Gênesis, Deus nos confronta com as duas escolhas; os dois modos de viver neste mundo. Deus não nos chama a lutar por influência, por poder, para realizar coisas impressionantes neste mundo. Deus nos chama em primeiro lugar a sermos fiéis e humildes e dependentes da Sua graça. E, por meio desta fraqueza e humildade, Ele vai nos conceder a última vitória.

Amém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este Comentário será exibido após moderação dos Editores da equipe Plugados com Deus!