Teologia Fácil- O que é Justificação nos Escritos Paulinos (Parte 1)



O nascimento de Jesus foi o acontecimento mais surpreendente que já aconteceu sobre a terra. Nada igual a isto ocorreu no passado. E nada igual poderá suceder jamais. O Excelso e Único Santo que habita na luz inacessível e na incompreensível majestade se fez membro da família humana. O criador do céu, da terra e das galáxias do espaço sem fim nasceu de uma mulher, cresceu no humilde lar de um camponês, viajou como um pregador itinerante, morreu em agonia e vergonha, levantou da tumba e ascendeu ao céu. Os doze apóstolos foram escolhidos como testemunhas oculares destes acontecimentos.
Depois, o Cristo que ascendeu ao céu escolheu outro homem por meio do qual o Espírito Santo revelaria o verdadeiro significado daqueles acontecimentos históricos que os doze apóstolos testemunharam. E nos escritos de Paulo que o Evangelho dado aos hebreus em símbolos, som¬bras e promessas fica plenamente revelado. (Col. 1:25-27; Efé. 3:1-8; Gál. 1:12; 1 Tim. 1:3; 2 Cor. 3:10; 2 Cor. 12: 1-5, 12; Rom. 16:25, 26).
O tema do Evangelho de Paulo era Cristo, e este crucifi¬cado para justificação dos pecadores (1 Cor. 2: 2; Gál. 1: 4). E certo que os demais apóstolos também deram testemunho da salvação dos pecadores por meio de Jesus; porém Paulo nos mostra como é que o Evangelho é uma revelação da justiça de Deus (Rom. 1:16, 17). Como pode um Deus justo justificar a pecadores? Como pode a extensão da misericórdia para transgressores da Lei ser consistente com as exigências da Justiça divina? Estas não são só perguntas interessantes apenas, mas que devem ser respondidas, se é que o homem rebelde há de reconciliar-se com o caráter de Deus.
A Justificação
A palavra-chave nos escritos de Paulo é justificação. Tanto no Velho como no Novo Testamento as palavras justificar e justificação têm um significado legal e judicial bem definido; são palavras que estão intimamente relacionadas com a idéia de juízo ou teste (Deut. 25:1, 1 Cor. 4:3; Mat. 12:37). A palavra justificação pode ser definida com ser alguém declarado justo por um tribunal. Quando se diz que Deus justifica a um homem, quer-se dizer que seu caso foi levado a juízo diante de Seu Divino Tribunal e que, depois de examinar o caso, declarou-se o acusado tão livre de qualquer falta e culpa como se fosse todo ele justo e agradável à vista de Sua Santa Lei. Em português, a palavra aceitação se ajusta bem ao significado de justificação.
Se justificação significa ser declarado justo ante o Tribunal da infinita justiça, quem então será justificado? Ai de mim. "Como pois seria justo o homem perante Deus e como seria puro aquele que nasce de mulher? " "Que é o homem para que seja puro e o que nasce de mulher, para ser justo? " "Eis que Deus não confia nem nos seus Santos; nem os céus são puros aos seus olhos, quanto menos o homem que é abominável e corrupto que bebe a iniqüidade como a água? " Jó. 25:4; 15:14-16.
Em sua grande epístola dirigida aos Romanos o apóstolo propõe responder ao grito universal do coração humano: "Como, pois, seria justo o homem perante Deus? Jó. 25:4. O que significa essa pergunta é: Que posso fazer para levar Deus a aceitar-me? Então a resposta de Paulo é enfática: Absolutamente nada!
Antes de apresentarmos o modo mediante o qual Deus alcança o homem, o apóstolo expõe a inutilidade do modo mediante o qual o homem tenta alcançar a Deus. Não há nem um justo, ninguém que entenda, ninguém que busque .a Deus, ninguém que faça o bem (Rom. 3:10-12). Ninguém tem uma vida capaz de confrontar as normas da lei de Deus (Rom. 3: 19). "Visto que ninguém será justificado diante dele por obras da lei..." Rom. 3:20.
Paulo não diz simplesmente que ninguém pode chegar a ser justo à vista de Deus mediante sua forma de agir. Aqui ele usa o tempo futuro do verbo. Ele quer dizer que nenhum mortal virá a ser considerado justo alguma vez com base em sua própria vida. Nenhum homem pode enfrentar o juízo de Deus com uma consciência tranqüila se sua confiança descansa no mérito de sua própria vida. A razão fica firmemente estabelecida: "Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus." Rom. 3:23. Ou ainda, como declara Salomão. "Não há homem justo sobre a terra, que faça o bem e que não peque." Ecl. 7:20.
Continua

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este Comentário será exibido após moderação dos Editores da equipe Plugados com Deus!