POR QUE PRECISAMOS NASCER DE NOVO?

                   
                         
                Porque, de conformidade com as Escrituras Sagradas, depois da queda de Adão e de Eva, nossos representantes federais diante de Deus no Pacto das Obras, todos nós morremos espiritualmente e, ato contínuo, adquirimos uma natureza corrupta e inteiramente contrária à santidade do Senhor. A essa congênita corrupção de todas as dimensões constitutivas do ser humano: mente/afetos/vontade, a Teologia Reformada, com sobrante chancela bíblica, chama de Depravação Total. Isso não quer dizer que todos os homens são igualmente depravados, no sentido de que são completamente destituídos de qualquer dique moral, ou de que todos eles, de modo similar, cometem as mesmas torpezas, mas sim que todos estão, sem exceção e sem distinção, amplamente incapacitados para obedecerem a Deus e se conformarem ao elevado padrão estabelecido por sua santa lei. De acordo com o teólogo conservador J. Dwight Pentecost, a doutrina da Depravação Total não significa que todos os homens são os piores possíveis, mas sim que estão todos na pior situação possível diante de Deus. Porque, sem o novo nascimento, nós estamos plenamente inabilitados para contemplar o reino de Deus e, também, para ingressar nele com a nossa capacidade e supostos méritos. Porque, sem o novo nascimento, nós não passamos de pecadores perdidos e, de igual modo, inteiramente expostos ao justo juízo de Deus. Porque, sem o novo nascimento, o que nos espera na eternidade é o completo banimento da presença daquele que nos criou à sua imagem e semelhança, para o louvor da sua majestosa glória.
                O novo nascimento é um milagre poderoso operado pelo Espírito Santo, por meio da pregação fiel e eficaz do evangelho da graça de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Quando alguém realmente experimenta a graça do novo nascimento, torna-se, como preconizou o apostolo Paulo em sua Segunda Epístola aos Coríntios, “uma nova criatura. As coisas velhas passam. Tudo se faz novo”. O amor de Deus brota no coração. Há fome e sede da Palavra do Senhor. Há crescimento em santificação. Há um refinamento do caráter manifestado pelo florescimento visível do fruto do Espírito Santo. Há um anelo pela proclamação urgente da Palavra de Deus. Há um inquebrantável compromisso com Jesus Cristo, recebido não somente como Salvador, mas, sobretudo, como Senhor. Como bem pontua o renomado teólogo e pregador D. Martyn Lloyd-Jones, no novo nascimento, Deus produz em nossa alma uma nova disposição de vida, repassada por valores completamente transformados e santos. Novo nascimento não é uma reforma moral, mas uma vivificação radical da natureza humana. Não é um aperfeiçoamento do velho homem, mas a criação de um ser inteiramente novo. É uma verdadeira ressurreição espiritual.
                Em suma: já nascemos verdadeiramente de novo? Você já nasceu de novo, caro leitor desta mensagem? Já existem evidências claras dessa obra sobrenatural em sua vida? Sim? Não? Pense seriamente sobre isso, pois essa é uma questão de vida e morte, que tem implicações para toda a eternidade. SOLI DEO GLORIA NUNC ET SEMPER.
                                                               JOSÉ MÁRIO DA SILVA

                                                               PRESBÍTERO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este Comentário será exibido após moderação dos Editores da equipe Plugados com Deus!