Vida de oração esgotada?


"A característica mais preponderante de todos os mais piedosos cristãos que o mundo já conheceu é que eles não só dedicam muito tempo à oração particular como também se deleitam com isso... Quanto mais piedosa a pessoa, mais tempo despende conversando com Deus.Portanto, trata-se de um assunto da máxima importância...

Essa verdade faz parte da experiência do povo de Deus através dos séculos. Encontramos nos evangelhos o registro de que João Batista ensinara os seus discípulos a orar. Eles decerto haviam sentido a necessidade de instrução, e lha pediram... João os ensinara a orar. Os discípulos do Senhor Jesus sentiram exatamente a mesma necessidade... "Senhor, ensina-nos a orar". Sem dúvida brotou o desejo no coração deles porque tinham consciência dessa espécie de dificuldade natural, instintiva e incipiente que nós sentimos, mas ela deve também ter sido grandemente intensificada quando eles comtemplaram Sua vida de oração. Viam como Ele se levantava "muito antes da alvorada" e subia aos montes para orar e como ele passava noites inteiras em oração. E às vezes, não tenho a menor dúvida, eles diziam a si mesmos: "De que Ele fala? Que faz Ele?" Pode ser que lhes tenha ocorrido igualmente este pensamento: "Em poucos minutos de oração já não encontro mais palavras. Como Ele consegue orar tanto? Que é que leva a essa facilidade e total entrega a oração?" "Senhor", disseram eles, "ensina-nos a orar". Queriam dizer com isso "...gostaríamos de conhecer a Deus como tu O conheces. Ensina-nos a orar". Vocè já sentiu isso alguma vez? Você já se sentiu alguma dia insatisfeito com a sua vida de oração e aspirou a saber mais e mais o que é orar verdadeiramente? Se a sua resposta é "sim", é um indício encorajador."
David Martyn Lloyd-Jones

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este Comentário será exibido após moderação dos Editores da equipe Plugados com Deus!