A Mulher na Cruz. Retrato da Feminização na Igreja.






Em Julho de 2000, aconteceu a Assembléia Nacional das Mulheres Presbiterianas, em Kentucky, Estados Unidos. Neste evento, com mais de 6.000 mulheres participantes, houve, em muitos momentos a pregação fiel da Palavra, porém, a reunião também serviu de palco para apresentação de tendências teológicas muito estranhas. A figura acima, por exemplo, é a foto de um poster que estava sendo vendido na entrada da Assembléia de nome "Woman on the Cross" (Mulher na Cruz). Outro poster (ao lado) trazia a "Blessing in the name of Christa" (Bênção no nome de Crista". Uma reivindicação do "Voices of Sophia", movimento feminista da Presbyterian Church of United States of America (PCUSA), defendendo a igualdade de gênero até nas pessoas da Trindade. O "Voices of Sophia"http://www.voicesofsophia.wordpress.com está intimamente ligado ao "More Light Presbyterians", movimento homossexual que atua na PCUSA http://www.mlp.org/.


Pela graça de Deus, estas aberrações ainda não chegaram à Igreja Presbiteriana do Brasil. As mulheres de nossas Sociedades Auxiliadoras Femininas, espalhadas pelo país, são piedosas e tementes a Deus. Realizam um trabalho exemplar, sem necessitarem de ordenação pastoral. Aliás, nem querem, porque são fiéis à Palavra de Deus.


 

Todavia, há uma transformação ocorrendo em nossas igrejas. A feminilização de algumas áreas.


 

Na Liderança


 

Tem crescido pelo Brasil o número de pastoras, bispas e presbíteras. O aumento deste número não se deve a mais conhecimento bíblico do que tiveram nossos pais, mas sim ao argumento sociológico. Com o crescimento das oportunidades para as mulheres na sociedade, logo chegaram os defensores de que o ministério também deveria abrir oportunidades para as irmãs, mesmo sendo a Bíblia tão clara quanto a esta proibição.

Enquanto isso, na sociedade de uma forma geral, não são poucos os lares que têm na mulher o seu forte referencial. Maridos acuados, omissos e sem atuação no lar são encontrados em barracos, casas e mansões. Os reflexos deste comportamento na igreja são imediatos. É cada vez mais frequente o jargão "As mulheres fazem um excelente trabalho aqui na igreja, já os homens..."
Essa tendência da sociedade, repletida na igreja, faz com que a maioria dos cargos das igrejas sejam ocupados por mulheres. Assim, temos uma situação preocupante. Muitas vezes a fonte de ensino bíblico de um garoto, em casa, é uma mulher, a mãe, e, ao chegar na igreja, também serão mulheres que o ensinarão na Escola Dominical. Conclusão: Igreja é coisa de mulher.

Na Adoração

A adoração também tem sido feminilizada. Atingindo muito mais a emoção do que a razão, os cânticos atuais são bem próprios para atingir as mulheres, mas deixam uma lacuna grande na carência racional que o homem tem. Observe letras como "me derramar, dizer que te amo", "tu és formoso", "sentar no seu colo", etc... Letras românticas para expressar adoração a Cristo, que não é namorado, mas Senhor.

Esta moda romântica já foi denunciada no livro de Michael Horton "A Face de Deus". O autor mostra ali a influência do gnosticismo em hinos e cânticos individualistas e que valorizam a experiência ao invés do conhecimento. Esta deturpação tem ocorrido em muitas letras cantadas nas igrejas. Despreza-se a transcendência de Deus, isto é, o fato de ele ser Deus, superior às criaturas, majestoso e sublime, e supervaloriza-se a imanência, com frases como "quero tocar-te", "quero sentir teu calor", "beijar tua face". Faz-se uma caricatura de Deus, que é tanto transcendente quanto imanente.

É urgente, portanto, que as igrejas atentem para o que estão cantando. Jesus Cristo é Deus, não namorado. É preciso resgatar as letras que exaltam a majestade de Deus, sua santidade, a obra redentora do Filho e a gloriosa esperança do porvir.

Concluindo, precisamos rever esta situação, a começar do resgate de uma adoração mais racional que emocional e do comprometimento de homens que ocupem os cargos de liderança da Igreja. Seria muito importante que homens fossem professores de Escola Dominical, ensinando crianças e adolescentes. Os pequeninos precisam de referenciais masculinos de fé.

Assim, erguei-vos homens! Cristo quer-vos de pé!



fonte: resistenciaprotestante.blogspot.com

3 comentários:

  1. Amados,
    após a leitura do texto - e verificar que "isso" é uma tendência mundial, pelo anuncio bíblico da apostasia, pergunto de onde brota a espectativa de reavivamento?
    Sem evidência no contexto "cristão", muito menos nas Escrituras.
    Seria apenas a disposição de honrar a tradição histórica?
    Em Cristo.

    ResponderExcluir
  2. Lamento pela imagem sem sucesso e louvo a Deus por que DEUS na sua soberania sempre preservou um grupo de pessoas que perseveram em seus ensinamentos. Deus abençoe a todos! A propósito gostaria de me tornar membro do blog como faço?

    ResponderExcluir
  3. Caro Irmão Paulo, no rodapé do blog existe varios nomes e fotos de pessoas que seguem o blog.Para nos acompanhar é só clicar no botão seguir e inserir sua senha e seu e-mail. Deus continue nos iluminando! Amém.

    ResponderExcluir

Este Comentário será exibido após moderação dos Editores da equipe Plugados com Deus!