A cessação dos dons extraordinários- Última parte...




ÚLTIMA PARTE DO ARTIGO DO REV BEZERRIL SOBRE O "PERFEITO" DE 1Co13...

1.Em Coríntios do cap.12 ao 13:10, encontram paralelo muito forte em Efésios 4: 7 a 16. Isto é muito importante, o esboço dos assuntos é o mesmo em ambos os textos; as ideias de Paulo em l Co. são as únicas em todas as suas epístolas. Portanto podemos interpretar l Co.13:10 à luz de Efésios 4: 7-16. Se você tomar o esboço de Efésios 4:7-16 verá que:
• Discussão judeu-gentio (Ef. 2- 4)
• Ênfase sobre todos (Ef.4:6)
• Ênfase sobre unidade - unicidade (Ef.4:4-6)
• Unidade no Espírito (Ef.4:3)
• Um corpo, um Espírito, uma Esperança (Ef.4:4)
• Um Senhor, uma fé, um batismo (Ef.4:5-6)
• Um Deus e Pai de todos (Ef.4:6)
• Umcorpo(Ef.2:16)
• Um Espirito (Ef.2:18)
• Dons espirituais (Ef.4:7-11)
• Ilustração da unidade mediante o corpo humano (Ef.4:12-16)
• Crescimento humano ilustra o progresso do corpo espiritual - A Igreja (Ef.4:13-16)
• teleion (Ef.14:13)

l Co 12:14 segue o mesmo esboço.
• . Gregos e Gentios no corpo de Cristo (l Co. 1 2:2-3).
• Tudo em todos (l Co. 12:6 e 12)
• Ênfase sobre um e o mesmo doador de dons (l Co.12:4-14)
• Mesmo Espírito(l Co. 12:4)
• Mesmo Senhor (l Co. 12:5)
• Mesmo Deus (l Co. 12:6)
• Mesmo Espirito (l Co.12:8)
• Um Espirito (l Co. 12:9)
• Um Espirito e o mesmo Espírito (l Co. 12:11)
• Um corpo (l Co. 12:12) '
• Um Espírito, um corpo, um Espírito (l Co. 12:13)
• Dons divinos que vai até o 14 (l Co. 1 2:4-1 1 )
• Ilustração do corpo humano (l Co. 12: 12, 13, 14)
• O crescimento de Paulo ilustra o progresso dos coríntios (l Co. 13:11 )

Vejam que é o mesmo esboço de Efésíos 4. Por isso que a ideia encontrada em l Co.13 não é alienígena, está lá em Efésios; o mesmo tema. Só que os dons de Efésios são dons ministeriais e Paulo está tratando de um dom que vai caminhar para um teleion, a partir da plenitude da revelação. Está claro que o teleion não se refere ao estado eterno de todas as coisas, pois o próprio Paulo indica o processo ao qual ele se refere: "porque em parte conhecemos e em parte profetizamos.

Línguas cessam To teleion --> telos
* _ > _ > _ > __ > __ > __ > __ > __ > __ > __ > __ > _ >*
Dons Revelação Parcial Conhecimento e
(na época apostólica) (ek meros) Profecia plenos { não serão "em parte" }
{MATURIDADE DA IGRBA}
Teleiôsis

Nós chegamos a conclusão de que este conhecimento e profecia é o Cânon completo. Por inferência se deduz que seja o Cânon, porque quando as igrejas tiveram toda a revelação de Deus já completa, então elas não precisaram mais da revelação parcial. Ela já chegou ao seu telos. Teleiôsis é a maturidade da Igreja em relação ao conhecimento de Cristo. Paulo diz que quando vier o que é perfeito, este aniquilará o que é em parte. Porque a profecia ainda continua? Ele diz que o que vai ser aniquilado não é o conhecimento nem profecia, porque se estes fossem aniquilados eu não conheceria plenamente a Cristo como diz Paulo em Ef.4:13. Se fossem aniquilados não poderia ter este conhecimento. Mas Paulo diz que foi aniquilado o que era em parte. Ou seja, o.aspecto revelacional da profecia e do conhecimento não existe mais.

Mas, se as pessoas perguntarem sobre o que elas estão vendo nas igrejas e nos programas de TV hoje? Temos de dizer de forma clara que tudo isso não é a mesma coisa da época de Paulo. Profecia de hoje é totalmente diferente dessa profecia de "mediador" ("Deus me disse que isso aconteceria com você se você fizer isso") que existe hoje. Em Corinto era profeta, mas hoje é um profeta? Os profetas de hoje são conhecidos por profetas? Não, mas em Corinto era. Então, a natureza do conhecimento e da profecia de lá é diferente da de cá.

Terminando, diríamos que nos primeiros dias da Igreja o conhecimento do homem era incompleto, assim como a profecia. Eles não possuíam equipamento necessário para compreender os grande princípios do cristianismo. Como eles saberiam sobre a segunda vinda de Cristo? Sobre a messianidade de Jesus? Sobre a obra vicária de Cristo. Então eram necessárias as profecias e revelações de conhecimento e que eram apenas em parte, eram parcial. Por que eram em parte? Porque apenas alguns recebiam individualmente estes dons. Por isso Paulo diz que eles tinham de falar para a Igreja. O dom tem de ser para o povo, tem de ser conhecido por todos porque a Igreja não tinha por quem se guiar. Por isso era em parte, só alguns. Você já imaginou que alguém só podia (na época de Paulo) conhecer determinado assunto no dia que Deus quisesse revelar alguma coisa a um irmão na Igreja? O conhecimento era em parte.

Assim a profecia e o conhecimento não foram abolidos, apenas sua forma parcial (ek meros), a qual por ter sido aniquilados, chegaram à sua completação, sua perfeição, sua maturidade. Tanto a profecia quanto à ciênda promovem o conhecimento. Antes do teleion, este conhecimento era em parte, mas depois do teleion, diz Paulo, que o conhecimento continuará. Apenas seu aspecto parcial será aniquilado, mas continua. "Então conhecerei plenamente como também sou conhecido". Isso indica que a ciência e a profecia fornecerá um conhecimento pleno depois do teleion. Ninguém pode dizer o contrário, pois todos são abençoados pelo conhecimento da Palavra. O fato de nada poder ser acrescentado à Palavra de Deus hoje, e não haver nenhum tipo de novas revelações provam que a forma de profecia e ciência em Corinto sofreram um teleion. Nada vai além da Palavra de Deus, o que era diferente em Corinto. Os dons eram milagrosos pois traziam revelações de natureza doutrinária para edificação da Igreja. Eles não tinham Bíblia. Viam em espelho.

As línguas na história sofreram alguma extinção? Essa é que é a pergunta. Será que o Paulo diz sobre as línguas aconteceu alguma vez na História? Sim e logo em seguida, no segundo século. E sobre conhecimento e profecia, o mesmo aconteceu? Não. Mas sobre língua há provas na História que ela cessou? Podemos provar? Sim. Este é o grande dilema da contemporaneidade dos dons extraordinários. Ë bom lembrar que Paulo, no texto, nem cita mais as línguas. Mas o que dizer do ressurgimento das línguas no século XX? A resposta é que a Palavra não fala do seu ressurgimento, mas apenas na sua cessação. Não podemos afirmar que foi por causa da incredulidade pois já havia predição para cessar. Antes da incredulidade, Paulo diz que as línguas cessariam.


Cartas Pastorais
– Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana do Brasil.
– Comissão Permanente de Doutrina

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este Comentário será exibido após moderação dos Editores da equipe Plugados com Deus!