O Batismo com o Espírito Santo- Buscando o que já se tem!

INTRODUÇÃO O Espírito Santo habitava os crentes antes do Pentecostes, porém, ele seria dado de forma mais plena a partir de então. Jesus disse que os discípulos já conheciam o Espírito Santo, enquanto que o mundo ainda não o conhecia (v.17). Isto é mais uma prova de que eles já possuíam o Espírito Santo. Mas, já vimos que somente após partida de Jesus é que o outro Consolador viria para assumir definitivamente a função de guiar os discípulos a toda a verdade. Para que o derramamento do Espírito acontecesse Jesus precisava ser exaltado através da sua ascensão.
Foi na ascensão, quando se assentou à destra de Deus, que Cristo recebeu o título de "Cabeça da igreja" (Ef. 1.20-23).Então somente após sua ascensão ele pôde mandar o Espírito Santo para ligar os membros a fim de formar um só corpo. Alguém dirá: Mas, então, não havia igreja no Antigo Testamento? Havia, porém não nos mesmos termos do Novo Testamento. No dia do Pentecostes aconteceu algo novo que jamais havia acontecido antes. Nesse dia a unidade foi estabelecida. Podemos ver o Pentecostes, como uma espécie de Babel invertida. Naquele dia, a igreja composta de todas as nações se reuniu num único corpo. Foi por isso que o dom de línguas foi concedido. As línguas de todos os povos foram unidas no dia do Pentecostes, simbolizando a unidade da igreja em todas as nações, e não mais apenas dentro dos limites de Israel. As línguas haviam sido divididas por ocasião da torre de Babel como um juízo de Deus contra a soberba humana, mas no Pentecostes foram reunidas demonstrando a unidade do povo de Deus. No Pentecostes, os discípulos receberam o Espírito do Cristo glorificado, e assim foram batizados no corpo de Cristo, ou seja, na Igreja. A vinda do Espírito Santo no dia do Pentecostes foi para a instituição da igreja do Novo Testamento.

O QUE E SER PENTECOSTAL?

O termo pentecostal está definitivamente incorporado ao dicionário da Igreja Cristã. Desde o início do século 20, quando um grupo de crentes começou a falar em línguas numa missão evangélica em Los Angeles mais precisamente na rua Azuza, o movimento pentecostal se espalhou pelos quatro cantos do planeta. Hoje estima-se que as igrejas pentecostais e neo-pentecostais sejam mais numerosas que as tradicionais. Esse termo "pentecostal" é tirado do episódio que ocorreu no dia de Pentecostes em Jerusalém quando os discípulos do Senhor Jesus foram batizados com o Espírito Santo. Os pentecostais dizem que receberam uma experiência igual àquela. Eles raciocinam: os discípulos eram crentes, mas receberam o batismo depois, e falaram em línguas, então, há uma conversão operada pelo Espírito Santo, mas o batismo é uma segunda bênção, uma segunda experiência a conversão. Dessa forma para o pentecostalismo, há duas classes de crentes na igreja, os que já chegaram lá e os que ainda não conseguiram. Quem já foi "batizado" faz parte da elite dos crentes, enquanto que, quem não foi batizado faz parte de uma categoria inferior de crentes. Estes últimos, freqüentemente recebem alguma discriminação por parte dos mais "adiantados", e se vêem ameaçados pela pergunta tradicional: " você ainda não foi batizado no Espírito Santo?" causando angústia e tristeza em centenas de pessoas sinceras mas que não chegaram nesse patamar. Algo que foi dado para unir acaba hoje dividindo.
Os crentes pentecostais e neopentecostais afirmam que Atos 2 é a norma para os crentes de todas as épocas, mas Atos 2.1-4 é a narrativa histórica a respeito do cumprimento da promessa de Jesus de enviar o Espírito Santo, selando as profecias do Antigo Testamento e completando o último evento da história da redenção, antes da Segunda Vinda. Dois grupos de pessoas foram batizados com o Espírito Santo no capítulo 2 de Atos. Os 120 discípulos reunidos no cenáculo e a multidão de 3 mil pessoas que se converteram com a pregação de Pedro. Os 120 já andavam com Jesus, e eram convertidos. Os 3 mil não eram crentes, mas se converteram naquele dia e com certeza também receberam o batismo com o Espírito Santo. Qual deveria ser a norma para nós hoje? Os 120 que precisaram aguardar até o dia determinado, ou os 3 mil que não precisavam mais aguardar a descida do Espírito Santo, uma vez que ele já havia descido? Parece óbvio dizer que o segundo grupo é padrão, pois também nós vivemos na era após a descida do Espírito.
É preciso fazer uma distinção entre a descida do Espírito Santo e o dia do Pentecostes. Podemos até dizer que, num certo sentido, uma coisa nada tem a ver com a outra. O Pentecostes era uma festa dos judeus ordenada desde o Antigo Testamento. Literalmente, Pentecostes significa quinquagésimo, pois acontecia 50 dias depois da Páscoa. Também era chamada de festa das semanas, por acontecer 7 semanas depois da Páscoa. Mas, a comemoração mais comum era por causa das colheitas. A única relação entre o Pentecostes e o Batismo com o Espírito Santo foi que Deus resolveu enviar o Espírito Santo naquele dia sobre os discípulos, provavelmente aproveitando a ocasião em que haveria pessoas de várias , partes do mundo em Jerusalém. Os judeus agora veriam com seus próprios olhos que aos gentios estava sendo proclamada as verdades eternas e isso realmente serviu como sinal para os judeus. Romanos 10:19-21
19 Mas digo: Porventura, Israel não o soube? Primeiramente, diz Moisés: Eu vos meterei em ciúmes com aqueles que não são povo, com gente insensata vos provocarei à ira. 20 E Isaías ousadamente diz: Fui achado pelos que me não buscavam, fui manifestado aos que por mim não perguntavam. 21 Mas contra Israel diz: Todo o dia estendi as minhas mãos a um povo rebelde e contradizente.

1 Corinthians 14:22
22 De sorte que as línguas são um sinal, não para os fiéis, mas para os infiéis; e a profecia não é sinal para os infiéis, mas para os fiéis
. Esses infiéis aqui mencionados são os judeus ainda não convertidos.
Atos 2.1-4 tem sua importância não por causa da festa do Pentecostes em si, mas pelo fato de que Deus cumpriu mais um evento da história da redenção naquele dia. O nascimento de Jesus foi o primeiro evento histórico da redenção. O próximo evento foi sua morte, depois sua ressurreição, por fim sua ascensão, e então, a descida do Espírito Santo. Depois disso, só resta a segunda vinda. Portanto, o evento que aconteceu no dia de Pentecostes foi o último da histórica atividade salvadora de Jesus. Assim como a sua morte e a sua ressurreição são impossíveis de serem repetidas, também o evento da descida do Espírito Santo não se repete. Mas, do mesmo modo como os efeitos da morte e da ressurreição de Jesus estão presentes em todas as épocas, também os efeitos da descida do Espírito Santo estão presentes em todas as épocas, e disponível a todas as pessoas. Sem a descida do Espírito Santo, a obra redentora de Jesus não estaria acabada, e sua promessa não teria sido cumprida. E mesmo a promessa do Antigo Testamento do derramamento do Espírito Santo passaria em branco. Tudo, porém, se cumpriu no dia do Pentecostes, e como cumprimento, podemos dizer que se cumpriu de uma vez por todas. Os efeitos da vinda do Espírito Santo permanecem na igreja, dessa forma não precisamos pedir ao Pai que nos dê o Espírito Santo, ou que faça o Espírito descer, pois ele já desceu. Pedir que Deus nos dê o Espírito Santo, seria algo semelhante a pedir que Deus faça Jesus morrer de novo.

O EVENTO DO PENTECOSTES SE REPETIU?
Alguém poderia objetar que, em pelo menos três ocasiões, o evento do Pentecostes aparentemente se repetiu na forma de uma segunda bênção. Isso teria acontecido com os samaritanos, com os gentios em Cesaréia, e com os discípulos de João em Éfeso. Será importante analisar estes três acontecimentos.
Em Atos 8.5-17 está descrita a conversão dos samaritanos. Muitos samaritanos haviam crido no Evangelho através da pregação do evangelista Filipe, e como conseqüência foram batizados. Há poucas dúvidas de que realmente aquelas pessoas haviam se convertido. A única coisa estranha é a descida de Pedro e João para lá. Pelo que se sabe não era comum os Apóstolos inspecionarem a obra dos evangelistas. Então por que foram lá? Não é difícil descobrir. Aquela era a primeira vez que o Evangelho tinha sido aceito fora de Jerusalém, e Lucas, que escrevia para um grego chamado Teófílo estava querendo mostrar como o Evangelho saiu da exclusividade do ambiente judeu, sob a supervisão dos apóstolos e com todas as bênçãos do Espírito Santo (Ver At1.8). A ocasião era realmente crucial. Era a primeira vez que o Evangelho era pregado fora de Jerusalém, e alcançava justamente os samaritanos. Os samaritanos eram inimigos históricos dos judeus. Será que os judeus iriam aceitá-los? Havia uma oração feito pelos rabinos da épocas que consideravam os samaritanos como cães outros como porcos, será que Deus permitiria essa divisão de Judeus-samaritanos permaneceria na igreja? Certamente foi por esse motivo que Deus reteve, não o batismo com o Espírito Santo, mas a manifestação visível dele que os apóstolos pudessem verificar a veracidacidade do acontecimento.
Não foi identificado nenhum problema com os samaritanos em si. Nenhuma condição,foi oferecida a eles, como orar ou buscar o Espírito. O problema também não está com Filipe, que logo em seguida prega ao eunuco etíope e não foi necessário que os apóstolos fossem atrás (Ver Aj J.26-40)4.O problema está no relacionamento entre Jerusalém e Samaria. Está no fato de que Deus desejava transpor oficialmente uma inimizade histórica. Deus reteve a manifestação visível do Espírito Santo a fim de que os Apóstolos testificassem que a fé também estava sendo encontrada em Samaria, e assim, autenticassem a obra entre os samaritanos. Deus quis que os Apostolos vissem com seus próprios olhos a obra no meio deles, para que nunca se dissesse os samaritanos não haviam sido incluídos oficialmente na igreja Apostólica. E quem Deus faz questão que fossem Pedro e João. Lembremos que esses são respectivamente o mais cabeça dura e o mais brigão mais tarde chamado apóstolo do amor. Cá para nós acham mesmo que Pedro como líder do colégio apostólico iria acreditar que os samaritanos haviam se convertido se ele não visse o Poder ser manifesto? Agora Deus mostra que ali não estavam pessoas piores do que os judeus, ali não estavam porcos, mas eleitos do Senhor tanto quanto os de Jerusalém. Portanto, não há razão para pensar num segundo Pentecostes. Nem o acontecimento samaritano deve ser aceito como norma para os crentes em todos os tempos, pois sua diferença explica-se perfeitamente por causa da sua situação histórica.
O que aconteceu em Cesaréia?
No capítulo 10 de Atos é narrada a conversão de um gentio (estrangeiro) ao cristianismo, um homem chamado Cornélio. Deus direcionou Pedro, até aquele homem, demonstrando que não fazia acepção de pessoas. Pedro entrou na casa de Cornélio e começou a pregar o Evangelho. A certa altura da pregação de Pedro, precisamente quando falava sobre a remissão dos pecados através do nome de Jesus (At 10.43), o Espírito Santo "caiu sobre todos os que ouviam a palavra" (At 10.44). Depois dos samaritanos, agora os gentios eram incorporados à igreja. A manifestação visível intencionava autenticar a conversão deles perante as autoridades da igreja como havia acontecido em Samaria. Imagine agora o nó que estava na cabeça de Pedro e dos outros Apóstolos que nunca imaginaram que a salvação seria para todo o mundo. Este não é um terceiro Pentecostes, é o batismo do Espírito a que todos os crentes têm direito e recebem quando se convertem, exatamente como aqueles homens e receberam o Espírito enquanto ouviam a palavra pregada. Uma coisa está por demais clara no texto: não houve uma segunda benção. Bruner diz que o "propósito do episódio de Cornélio é ensinar a Igreja, de modo tão dramático quanto a iniciação samaritana lhe ensinara, que Deus aceita todos os homens à parte da guarda de quaisquer disposições legais, ao dar gratuitamente o dom do Espírito Santo à fé".
Nesse caso, não foi preciso esperar, pois um Apóstolo esteve no comando da obra desde o início. Algo que geralmente passa despercebido no relato conectado à conversão da casa de Cornélio é o testemunho do Apóstolo Pedro que pode ter implicações muito sérias para a doutrina da Segunda Bênção. Lucas diz que chegou ao conhecimento dos apóstolos e dos irmãos que estavam na Judéia que os gentios haviam recebido a Palavra de Deus (Ver At 11.1). Quando Pedro chegou em Jerusalém, os defensores da circunci-são quiseram saber o porquê de ele ter se relacionado com incircuncisos (At 11.2-3). Pedro, então, lhes explicou como desde o princípio fora guiado por Deus, através da visão do lençol, onde Deus lhe mostrou que não deveria fazer acepção de pessoas, pois os gentios também estavam nos planos de Deus (At 11.4-10). Falou que o Espírito lhe mandou acompanhar os homens que vieram da casa de Cornélio a fim de buscá-lo, o qual havia recebido essa ordem de um anjo (At 11.11-13). O anjo disse a Cornélio que Pedro lhe diria palavras mediante as quais ele e a casa dele seriam salvos (At 11.14). E Pedro relata: "Quando, porém, comecei o falar, caiu o Espírito Santo sobre eles, como também sobre nós, no princípio. Então, me lembrei da palavra do Senhor, quando disse João, na verdade, batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo. Pois se Deus lhes concedeu o mesmo dom que nós nos outorgou quando cremos no Senhor Jesus, quem era eu para que pudesse resistir a Deus?" (At 11.15-17). Algo nessa declaração de Pedro é de grande importância. Ele diz "Deus lhes concedeu (aos gentios) o mesmo dom que a nós (apóstolos) nos outorgou quando cremos no Senhor Jesus". Ele diz que a
conversão dos gentios foi semelhante à conversão dos Apóstolos.


E os discípulos de Éfeso?
Este incidente está descrito em Atos 19.1-7. Paulo, em sua terceira viagem missionária, encontrou alguns discípulos na cidade de Éfeso. Paulo logo lhes perguntou se eles haviam recebido o Espírito Santo quando creram. Isso já é suficiente para perceber que Paulo vincula o recebimento do Espírito Santo com o ato de crer. O Apóstolo achou que havia algo estranho naqueles homens, e logo a sua suspeita veio a se confirmar. Eles responderam: "Espírito Santo? Nem sabemos quem é este?" Eram discípulos de João Batista e não conheciam a verdade plena a respeito de Jesus. Provavelmente foram ensinados por Apolo, o qual passou um tempo em Éfeso ensinado a respeito das verdades fundamentais do Evangelho, o próprio Apolo precisou ser ensinado pois conhecia apenas os ensinos de João Batista (Ver At 18.24-28). É difícil imaginar que aquelas pessoas fossem realmente convertidas. Não sabiam que Jesus já tinha se manifestado, e nada sabiam sobre a vinda do Espírito Santo. Não eram convertidos, mas tornaram-se com a pregação de Paulo e receberam o Dom do Espírito Santo no mesmo instante. Portanto, o que aconteceu neste episódio, longe de ser uma segunda bênção, confirma que o Espírito Santo é dado no momento da fé. Eles haviam mudado sua forma moral de agir pois era isso que João pregava mas estavam nos "confins da terra" ainda não tinham tido acesso a verdade em sua forma plena até aquele momento.
TODOS BATIZADOS EM UM ESPÍRITO
Podemos ver os ensinos normativos sobre o batismo com o Espírito Santo registrados nos escritos do Apóstolo Paulo, pois em muitos textos Paulo trata doutrinariamente dessas questões. Em 1Coríntios 12.13 O Apóstolo fez uma declaração muito importante para a consideração desse assunto: "Pois, em um só Espírito, todos nós fomos batizados em um corpo, quer judeus, quer gregos, quer escravos, quer livres. E a todos nós foi dado beber de um só Espírito". Para entendermos bem o que Paulo está querendo dizer nesse versículo, precisamos considerar todo o capítulo 12 de 1Coríntios, pois nesse capítulo, Paulo concentra seu ensino a respeito dos dons espirituais. Seu ponto alto é que embora os dons sejam variados, se manifestando de várias formas, há apenas um originador deles que é o Espírito Santo. Paulo diz: "Ora os dons são diversos, mas o Espírito é o mesmo" (v.4). Entre os versos 8-10 ele exemplifica alguns dons que podem ser dados à igreja visando a edificação, entretanto enfatiza: "Um só e o mesmo Espírito realiza todas estas cousas, distribuindo-as como lhe apraz, a cada um, individualmente",
Ou seja, ele está querendo demonstrar a unidade da igreja em meio à diversidade de dons, exatamente porque todos esses dons são concedidos pelo mesmo Espírito. É isso que ele enfatiza no verso 13. ao dizer algo como: "Somos diferentes tanto em serviços, como em dons e até mesmo em raça, mas numa coisa todos nós crentes somos iguais: todos
fomos batizados pelo mesmo Espírito, portanto somos um mesmo corpo". Certamente a referência do Apóstolo ao batismo" nesse texto nada tem a ver com o batismo com água, e nem mesmo com o que aconte- ceu no dia de Pentecostes, pois nem Paulo nem os coríntios estavam presentes naquele dia. Mas, então, quando Paulo e todos os crentes da cidade de Corinto foram batizados? Nenhuma outra resposta pode ser coerente a não ser: No dia da conversão deles. Não havia duas classes d
e crentes dentro da igreja de Corinto. Todos os que pertenciam ao corpo de Cristo foram batizados com o Espírito Santo.

Conclusão: buscando o que já tem?
Uma grande confusão tem sido causada nas igrejas por líderes que ensinam a necessidade de uma segunda obra da graça. Por todos os lados podemos ver a frustração e o desapontamento na vida de muitos que ainda não conseguiram chegar a esta segunda bênção. O problema é que, quando alguém acha que precisa buscar algo que não tem, certamente deixa de dar importância ao que já tem. Ora todos os crentes já possuem a obra da graça em suas vidas e também os meios para alcançar a verdadeira santidade, mas literalmente abandonam o pássaro na mão para perseguir os que estão voando. Deixam de valorizar o que Deus já lhes deu para buscar aquilo que não existe. Desta forma, rejeitam o maior dom que Jesus nos deu, que foi a vinda do "outro" Consolador.

O Senhor nos Ilumine. Amém.

16 comentários:

  1. Equipe Plugados com Deus30 de julho de 2009 06:27

    Somos um povo que vive adorando o Deus vivo e servimos a ele e seu filho Jesus. E vós quem sois caro amigo estranho?

    ResponderExcluir
  2. Equipe Plugados com Deus30 de julho de 2009 06:32

    Como a jumentinha de Balãao não importa muito quem somos ou o de onde viemos mas sim o que dizemos! =-O

    ResponderExcluir
  3. P'r� mim imprta!
    Quando se vai ler um livro e quer se ter uma ideia sobre o autor, procuramos
    saber quem ele � para saber sua linha de pensamento.
    2009/7/30 JS-Kit.com Comments <
    js-kit-m2c-RLRSQC8S8GPKRFRDDUNUI1D7B3RVU90LM6R4EMTHQHM0ESCO88G0@reply.js-kit.com

    ResponderExcluir
  4. Equipe Plugados com Deus31 de julho de 2009 07:22

    meça nossas palavras de acordo com a bíblia e tire suas conclusões caro estudante biblico! =-X

    ResponderExcluir
  5. Muitos usam a Palavra de DEUS para cometerem as maiores injusti�as! Sou
    Crist�o Protestante da confiss�o Metodista. J� d� p'r� saber o meu perfil. E
    voc�s, quem s�o?
    2009/7/31 JS-Kit.com Comments <
    js-kit-m2c-RLRSQC8S8GPKRFRDDUNUI1D7B3DR2UIGALKAN0AECHK2J7QVQ0NG@reply.js-kit.com

    ResponderExcluir
  6. Equipe Plugados com Deus31 de julho de 2009 14:39

    irmão ta muito preocupado com as bandeiras das Igrejas julgue de acordo com a reta justiça! lembra do sonho de John wesley? Em resumo ..ele foi ao inferno e perguntou se havia la batistas, o anjo disse que sim se havia pentecostais o anjo tambem disse que sim e continuou perguntando  sobre presbiterianos enfim todos os grupos de igrejas que ele conhecia estavam no inferno! ele quase desmaiou quando foi levado ao céu e la fez a mesma pergunta so que nao havia no ceu presbiterianos, batistas ou metodistas ...o anjo responde que so havia pecadores

    ResponderExcluir
  7. Equipe Plugados com Deus31 de julho de 2009 14:42

    para sua surpresa ele fica sabendo que tipos de pecadores entram no ceu. apenas os lavados e remidos no sangue do cordeiro!! Aleluia! isso faz eco em Apocalipse 22:14  14 Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestiduras no sangue do Cordeiro, para que lhes assista o direito à árvore da vida, e entrem na cidade pelas portas.

    ResponderExcluir
  8. Equipe Plugados com Deus31 de julho de 2009 14:43

    Mas para como ja vi que o irmão faz questão em saber..somos reformados, calvinistas, presbiterianos... =-X 8-) Deus te ilumine e se possivel divulgue o nosso site!

    ResponderExcluir
  9. Muito boa a sua resposta!
    Sou Metodista mas sou independente. Quando pe�o p'r� dar sua linha de
    pensamento � porque h� v�rias entidades preocupadas em levantar quest�es de
    import�ncia duvidosa ou criar dissen��es.
    Novamente parafraseando Jo�o Wesley: "N�o importa a Igreja que tu�s se �
    sombra do calv�rio tu est�s. Se o seu cora��o � igual ao meu, d� me a m�o e
    meu irm�o ser�s."
    2009/7/31 JS-Kit.com Comments <
    js-kit-m2c-RLRSQC8S8GPKRFRDDUNUI1D7B1QLE0T00MVEK4FVUUQFC2N2I3RG@reply.js-kit.com

    ResponderExcluir
  10. Verdade " O sangue de Jesus Cristo nos purifica de todo o pecado"
    2009/7/31 JS-Kit.com Comments <
    js-kit-m2c-RLRSQC8S8GPKRFRDDUNUI1D7B1JKKP3U202NGJ8Q1PKP2EM0BVU0@reply.js-kit.com

    ResponderExcluir
  11. Anderson Teixeira1 de agosto de 2009 17:10

    Caro irmão metodista, ficamos felizes com sua participação. Esperamos que tenha encontrado edificação espiritual em nossos artigos.

    ResponderExcluir
  12. Muito bom. Que Deus continue nos iluminado.

    ResponderExcluir
  13. SOU BATISTA , TRADICIONAL , MINHA IGREJA NÃO FALA EM LINGUAIS MAS COM 18 ANOS RECEBI A MANIFESTAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO DE DEUS , NÃO TENHO PALAVRAS P/ EXPLICAR O SENTIMENTO , MAS FOI A ALEGRIA MAIOR Q JÁ TIVE EM TODA MINHA VIDA . FOI SOBRENATURAL , FUI BATIZADA COM ESPÍRITO QUANDO TINHA 6, 7 ANOS QUANDO ENTREGUEI A MINHA VIDA PRO SENHOR , SOZINHA NO QUINTAL DA MINHA CASA , MAS ESSA EXPERIÊNCIA EU SÓ TIVE EM UMA REUNIÃO EM QUE PARTICIPEI DE UMA IGREJA PENTE COSTAL , POR OBEDIÊNCIA AO SENHOR QUE ATRAVES DE UM SONHO ME FALAVA Q EU DEVERIA IR AO CULTO DAQUELA IGREJA NAQUELA NOITE E EU FUI BATIZADA E HOJE TENHO 32 ANOS E RARAMENTE FALO EM LINGUAIS , MAS A PRESENÇA DO ESPÍRITO EU SINTO, EM ALGUNS MOMENTOS NA IGREJA EM CASA .... E COMEÇO A TREMER E A TRANSPIRAR E A SORRIR , É BOM D+ SENTIR O MEU DEUS DENTRO DE MIM TÃO PEQUENINA E PECADORA . NÃO SEI EXPLICAR SÓ QUEM JÁ TEVE ESSE PRIVILÉGIO ME ENTENDE E VC QUE NÃO TEVE AINDA , PEÇA A DEUS Q LHE MOSTRE POIS DEUS NÃO ESCOLHE UNS E EXCLUI OUTROS , ELE VER O SEU CORAÇÃO

    ResponderExcluir
  14. cara irmã aconselhamos a ler um livro chamado os carismáticos de John F. MacArthur JR da editora fiel e tome cuidado com determinadas experiências pois a biblia mesmo ensina que se até um anjo do céu pregar um "outro evangelho" ou seja algo diferente do que está na bíblia este seja Anátema(maldito). Gálatas 1:8. Entre a experiência e a bíblia sempre fique com a bíblia.
    Deus te Ilumine.

    ResponderExcluir

Este Comentário será exibido após moderação dos Editores da equipe Plugados com Deus!