quarta-feira, 24 de junho de 2009

O Terceiro Mandamento

 Rev. Gaspar de Souza. *
o terceiro mandamento é: “Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o SENHOR teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam. E faço misericórdia a milhares dos que me amam e aos que guardam os meus mandamentos”(Êx 20.4 - 6)

O CULTO AGRADÁVEL A QUEM?
Em matéria de Culto e Adoração, existe uma urgência necessidade do Segundo Mandamento. Muitos evangélicos são prontos em contrariar os Católicos Romanos pelo uso de imagens, de rituais, missas etc do culto católico, usando o Segundo Mandamento.
Porém, relutam em aplicar o Mandamento a si mesmos. Acreditam que o Mandamento tem apenas um caráter externo e não sabem que o Mandamento do Senhor aplica-se não apenas a forma, mas também aplica-se à intenção do adorador. Adorar a Deus em “espírito”, denonta “a natureza espiritual do culto, em contraste com a mera aparência exterior”(ANGLADA, 1997, p. 4) e “em verdade”, é a maneira ou forma correta de cultuar a Deus. Em “verdade” significa de acordo com Palavra de Deus. No primeiro caso, os adoradores modernos estão certos, pois sabem que culto é ato espiritual. Até os pagãos, em cuja adoração aos seus deuses havia orgias, sacrifícios humanos, rituais, sabem do caráter espiritual de seus cultos.
Porém, os adoradores modernos, à semelhança dos pagãos, estão comentendo idolatria, quebrando o Segundo Mandamento, porque não estão adorando “em verdade”.
Ora, os argumentos usados contra os Católicos, são também usados contra as inovações evangélicas de adoração (palmas, danças, coreografias, solos, duetos, quartetos, conjuntos, recitações, cumprimentos (”diga a pessoa que está do teu lado....”), palmas pra Jesus, apelos, trocar os cálices da Ceia, “culto cantado”, testemunhos pessoais etc. A lista é imensa!).
Assim como Deus não quer ser adorado com imagens, e isto porque o Mandamento proíbe o “culto sensorial”, com apelo aos olhos, o Senhor não aceita adoração que não esteja de acordo com a sua vontade.
Enfim, o Segundo Mandamento ensina-nos que o Culto a Deus é instituído por Deus, não devendo o Homem arrogar para si o direito de dizer como Deus deve ser adorado. Mesmo que haja “boa intenção” do adorador, o Senhor ensina que o melhor é obedecer a sua Palavra. Parafraseando Samuel: “eis que obedecer à palavra do Senhor é melhor do que os sacrifícios”.
Como disse certo autor: “Deus aborrece concepções humanas no culto, por zelo ignorante ou superstição, embora possam aparentar muita devoção ou afeição a Deus[...] O culto divino [...] Dever ser de conformidade com a norma e padrão de culto revelado como vontade e prazer de Deus na Palavra da verdade. Verdadeiro culto é a própria prática da Palavra de verdade(Mt 15.8, 9)”

O Rev. Gaspar de Souza. é professor de Hebraico no SPN, além de ferrenho apologeta reformado.

Mulheres podem ser Pastoras?

O Feminismo Cristão: Como Tudo Começou Augustus Nicodemus Lopes     Estudar a história do surgimento do movimento feminista é de g...