O Estudo Bíblico Efetivo Parte IV



O ESTUDO BÍBLICO EFETIVO PARTE IV- A INTERPRETAÇÃO DO TEXTO



A Bíblia é um livro divino-humano, com algumas dificuldades próprias de um livro que se propõe a revelar coisas espirituais e celestiais em uma linguagem compreensiva humana.

Precisamos evitar a declaração: "A Bíblia é difícil, e cada um tem sua interpretação". Desta maneira afirmamos que ela não tem uma palavra própria, mas cada um fala-a dizer o que ele quiser que ela diga.

Anotamos aqui 05 regras básicas e iniciais para ajudar você na interpretação dos textos bíblicos, evitando erros crassos.




  • Precisa-se dar sempre às palavras, em primeiro lugar, o seu significado comum e usual- Não faça a interpretação do texto partindo de metaforizações e simbolismos possivelmente oculto nas palavras (alegorização). Não faça aplicações do texto sem antes interpretá-lo corretamente.

As aplicações alegóricas só são possíveis se o contexto permitir. Ex: Salmos 92:12ARA
O justo florescerá como a palmeira, crescerá como o cedro no Líbano.
João 10:7 ARA John 10:7
Jesus, pois, lhes afirmou de novo: Em verdade, em verdade vos digo: eu sou a porta das ovelhas.

Ou o texto pode claramente afirmar como no caso de Gálatas 4:22-24 Galatians 4:22-24
22 Pois está escrito que Abraão teve dois filhos, um da mulher escrava e outro da livre. 23 Mas o da escrava nasceu segundo a carne; o da livre, mediante a promessa. 24 Estas coisas são alegóricas; porque estas mulheres são duas alianças; uma, na verdade, se refere ao monte Sinai, que gera para escravidão; esta é Agar.

1 Co 10:1-4 1 Corinthians 10:1-4
Ora, irmãos, não quero que ignoreis que nossos pais estiveram todos sob a nuvem, e todos passaram pelo mar, 2 tendo sido todos batizados, assim na nuvem como no mar, com respeito a Moisés. 3 Todos eles comeram de um só manjar espiritual 4 e beberam da mesma fonte espiritual; porque bebiam de uma pedra espiritual que os seguia. E a pedra era Cristo.

Obs:
O sentido usual das palavras às vezes só é entendido, se voltarmos ao tempo do autor e descobrirmos o que ele queria dizer. Ex. Mateus 25- a parábola das 10 virgens.
Uma palavra nunca tem ao mesmo tempo dois sentidos. Ou a palavra tem um sentido figurado ou um sentido literal. Você sempre deve dar primeiro o sentido literal das palavras, se não couber, logicamente deve-se usar o sentido figurado. Ex. Quando Jesus diz Entrai pela porta estreita! Será que ele está dizendo que há uma porta? Lógico que não apenas quer dizer que ser cristão é muito difícil e para ir pro inferno é bastante fácil!


  • Precisamos tentar alcançar os objetivos do autor – Às vezes para entendermos bem o texto é necessário mais do que conhecer o significado das palavras, é preciso conhecer os objetivos do autor. É preciso entender a sua argumentação, as ideias que ele pretende estabelecer. Por exemplo, o significado da palavra difere em: Romanos 14:23-fé como sinônimo de convicção; gálatas 1:23 fé no sentido de doutrina, verdade; Tiago 2:24 fé no sentido do conceito correto da verdade com a ação prática.
  • Precisamos entender o contexto- Isto é fundamental para a fiel interpretação do texto em análise. Contexto é o discurso de onde extraímos o texto, é o que imediatamente se segue ou antecede ao texto escolhido. Por vezes só o contexto nos dá o sentido exato das palavras usadas. Também não podemos formar doutrinas ou extrair lições de textos isolados de seus contextos, pois isso certamente é pretexto para heresias. Ex: João 9:3 Respondeu Jesus: Nem ele pecou, nem seus pais; mas foi para que se manifestem nele as obras de Deus. Por esse verso isolado poderíamos dizer que nem esse rapaz nem seu pai cometeram pecado? E agora? A Bíblia nos ensina que todos pecaram exceto um, Jesus Cristo. Ou também 2 cor 3:6 afirmaríamos que a letra, ou as palavras da Bíblia matam? Ela nos ensina que suas palavras são vida!


  • Precisamos correlacionar passagens paralelas- Isso é muito útil para lançar novas luzes sobre o texto. Elas são passagens que fazem referencia umas as outras, ou tratam do mesmo assunto. As correlações podem ser:


  1. De palavras Gl 3:27; Rm 13:14
  2. De histórias os 4 evangelhos
  3. De ideias São os ensinos a respeito do mesmo assunto.



  • Se necessário consultar material externo- Após tudo isso, se ainda restarem dúvidas ou dificuldades, então devemos consultar material externo (dicionários e comentários bíblicos) para outros esclarecimentos tais como: hábitos, costumes, línguas, Ex.: Como é o orvalho de Hermom? Sl 133; Mt 22:15-22 Quanto vale um denário?


  • Recapitulando


    • Dê às palavras, primeiramente, sentido comum e usual.
    • Conheça os objetivos do autor
    • Consulte o contexto
    • Correlacione às passagens paralelas
    • Vá ao material externo.
caso queira ler a parte anterior da lição clique aqui
Continua parte Final.

O senhor nos Ilumine.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este Comentário será exibido após moderação dos Editores da equipe Plugados com Deus!